segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Palhaço rico?

Ontem à porta do supermerc. uma senhora pedia esmola. Estranhei o ar dela, por bom que era. Pediu-me dinheiro. Disse que não tinha. Depois pediu-me algo alimentar. Disse-lhe que não tinha nada de alimentar no saco. Depois meteu a mão dentro de um dos sacos. Disse-lhe para tirar a mão dali, sff. Depois pediu-me que na próxima vez que ali fosse, que me lembrasse dela e que lhe comprasse alguma coisa de comer... Tudo com uma estranha arrogância, como se eu tivesse alguma culpa da situação dela... Mas o que mais me impresisonou foi o sangue-frio da senhora, que com um óptimo ar e +- bem vestida, ali estava, sem problemas alguns em pedir comida. Ou exigir, talvez seja mais correcto... Fiquei impressionado. Serão estes os novos pobres? Dass...

13 comentários:

fpm disse...

yeah, yeah, first!

fpm disse...

ontem à porta do supermerc. uma senhora pedia esmola. Estranhei o ar dela, por bom que era. Pediu-me dinheiro. Disse que não tinha. Depois pediu-me algo alimentar. Disse-lhe que não tinha nada de alimentar no saco. Depois meteu a mão dentro de um dos sacos. Disse-lhe para tirar a mão dali, sff. Depois pediu-me que na próxima vez que ali fosse, que me lembrasse dela e que lhe comprasse alguma coisa de comer... Tudo com uma estranha arrogância, como se eu tivesse alguma culpa da situação dela... Mas o que mais me impresisonou foi o sangue-frio da senhora, que com um óptimo ar e +- bem vestida, ali estava, sem problemas alguns em pedir comida. Ou exigir, talvez seja mais correcto... Fiquei impressionado. Serão estes os novos pobres? Dass...

Anónimo disse...

Ora porra, FêPêMê, devias ter postado isso ali fora e não aqui nos comentos, pá. Até julguei que fosse o início de uma anedota, mas depois percebi que não era.

Meteu-te a mão no saco? E tu deixaste?

Bons dias.

Ideapalparosacoaoclientemaispróximo.

chOURIÇO

fpm disse...

Pois, a verdade é que a gaja, com uma lata do caralho, tentou ver o que eu trazia nos sacos, sem sequer olhar para mim... E abordava toda a gente, impávida e serena. Nunca tinha visto algo assim.

Assento da Sanita disse...

Tens razão. Os novos pobres tem hábitos de beto: não agradeçem, não dizem 'se faz favor' ou 'obrigado'. Agem como o mundo fosse constituído por criados deles. Não têm é dinheiro, coitados. Nem educação, nem cultura nem nada. Só arrogência e falta de sentido do ridículo.

Mas eu acho que apanhaste uma maluquinha, pá.

fpm disse...

Sim, talvez, a gaja tinha um ar meio perdido... Mas decidida.

fpm disse...

um ar e um olhar...

fpm disse...

Bem, adiante... Talvez esta posta seja uma maçada.
Ponham aí outra, sff. Apeteceu-me escrever sobre isso, mas se calhar não o devia ter feito, sei lá...

Por acaso, estava agora a pensar, podia ter-lhe pedido um broche...

Assento da Sanita disse...

Imagina alguém que perdeu o emprego que garantia as prestações da casa, do carro, das férias na Tailândia, do barquito modesto... Um gajo pode-se passar-se e achar que não tem nada a perder e vai exigir aos que têm aquilo que acha que lhe pertence. De repente o valor de tudo se relativiza. (O erro é achar que o mundo nos deve alguma coisa).

Bom, há sempre a prostituição e aposto que lhe sugeriste essa saída, não?

fpm disse...

Observas bem, Adas. E não, não sugeri. Estava com pressa...

Bock, com Olhos de Boga disse...

Ah, ah, ah!

Bock disse...

Eish, é o avacalhanço total e absoluto nesta tasca, caralhos os fodam!

Bock disse...

Olh'a proooostaaaaaaa!