sábado, 17 de janeiro de 2009

Isle of Man - Tourist Trophy Tribute

Podia começar aqui um texto maior que os posts da VD, apenas como introdução ao que me inspira a Ilha de Man, motociclisticamente falando, claro.
Mas prefiro citar um jornalista "Tuga" que resumiu assim uma volta à Ilha; "É como ir de Lisboa a Braga, sempre por estradas secundárias, a uma média superior a 200km/h."
Não há vias rápidas, o clima pode alterar-se radicalmente em diferentes zonas da Ilha, mas acima de tudo o que faz desta corrida algo de tão especial, é o facto de reunir pilotos profissionais com os vulgares motociclistas, os primeiros com aspirações desportivas e de carreira e o segundo, "apenas" para concretizar o sonho de uma vida.

Enfim............dizer o quê?

8 comentários:

g2 disse...

Dizer só que não me levas lá...

Para frio, já basta aqui...

E as motos fazem muito barulho...

E um abraço, pá...

Padre Inácio disse...

Com ist'às moscas está a ser difícil encontrar alguém pra m'afagar os tomates.
Só meresta cantar...

<♫♪♫

Tomates of something is bad enough,♫♪♫♫♪♫
But something's coming over me to make me wonder,♫♪♫♫♪♫
Tomates of nothing is just as tough,♫♪♫♫♪♫
I need to know the way to feel to keep me satisfied

♫♪♫

Ai nide tunau diuai tufil tukip
mi sastefaide!

♫♪♫
♫♪♫

Bock disse...

Quem canta
Com tamanha cagança
Seus males espanta
e alimenta a esperança

Mas escusas de fazer orelhas moucas
vens debalde, oh Padreco
daqui n levas nem muitas nem poucas
nem uma quanto menos um repeteco

Queres que te esburcine um bacano?
longe ou perto, estás desenrascado:
vais afoito até ao Vaticano
ou mais perto, ali ao Patriarcado

dum dum disse...

Afaguem-lhes os entrefolhos
e esburcinem-lhes o bacano
esbugalhem-lhes as catotas
mas não vos caseis c'um muçulmano

VD disse...

...Porque o sarilho em que vos podeis meter
Nem Alá o poder conhecer!

Frei Tock disse...

Eram 72 virgens
e 2 ebanídeos eunucos
umas, limpinhas e sem penugens
outros, sem colhões, malucos

Serviam devotamente o Sultão
estivesse ele aqui ou acolá
Uns invejavam-lhe o ter colhão
outras a proximidade de Alá

Mas do que não cuidavam eles e elas
É que o Amo, de noite,pla calada,
demandava em palácios e favelas
quemlhe fizesse docu carne picada

A Maomé, qual leproso com pus
E ao Sultão, sem mais abandonaram,
E logo a fé de Cristo,morto na cruz
Com fervor e devoção abraçaram

BOCK disse...

PRÓSTATA!

Anónimo disse...

bom comeco