domingo, 13 de setembro de 2009

Bed and Breakfast Man

11 comentários:

Bock disse...

Eh, quarailho, ca ganda malha pa começar a jornada laboral!!!!

fpm disse...

Ena, ena!!!

Olha aí! Olhó abión!

Assento da Sanita disse...

Cuidado com o jacto!

Assento da Sanita disse...

Aquela gaja tem pendor para o convívio, ou não? Preferirá o cabo da esfregona bem lubrificado com Cif limão? O andar de gatas enquanto passa os WCs a pano do chão é um acto de oferecimento sexual, pois sente as mamas a badalar livremente dentro do soutien des gorges e aquilo põe-na um bocadinho em brasa, a ponto de abocanhar o primeiro que surja nos lavabos para se aliviar? E o cheiro a lixivia abafará o cheiro a carapau podre que exala das suas porcas miudezas de oligofrénica que apenas arranjou este emprego de merda de limpar retretes em serviços públicos 'bom dia , sr. doutor', 'bom dia sr. engenheiro' e o catano. 'Ó Diana, quer ser simpática comigo? Tem estado bem com o seu marido ou anda com comichões por coçar?' E ela - num segundo - já tem as mamas de fora da bata e está a abocanhar os colhões do sr. doutor. Ah as idas à casa de banho...

Assento da Sanita disse...

'Olhe lá, ò Diana, lá em África não se evacuava antes de brincar por trás? A sua cachupa arranha um bocado..'

'África, sr. doutor?...Eu nasci na Damaia...chlup, slurp, chup, chup, slurp...'

'Agora não se esqueça de esfregar as mãos com o gel alcoólico...'

'Isso é o meu marido, mas não é 'gel'...

'Toma lá umas moedas. Para beberes uma cerveja'.

Bock disse...

Ah, ah, ah!!!!

fpm disse...

eish, ahahahahah!

ostia disse...

pios...e tudo eso pasa-te a menudo , o é so hoje?

sandro disse...

Não é só hoje, ostiazinha mai'linda.
O gajo é assim desde que o pai se esqueceu de a tirar a tempo....

sandro disse...

O Éfe num tá.
Foi ber os colhões do nabaronne, ou os colhões de um camone, calhando os do Vruno Pidá.













(r-i-m-a d-o c-a-r-a-l-h-ã-o!!!!)

Anónimo disse...

Sim, um caralhão
pelo teu rabo acima,
não dá um trabalhão,
mas que rima, rima.

Foda-se, embrulha lá esta, ó

























Maricas nojento.

Até amanhã.

chOURIÇO