quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011


15 comentários:

Bock disse...

foda-se, és mesmo paneleiro.

Bock disse...

Uma foto tão gira e inspiradora,

...e vens-me cá agora com esta merda.

fininhO disse...

é hora do lanche... come e cala-te.

Assento da Sanita disse...

Eu vejo um traseiro com o rego e o esfíncter amarelos da má higiene,dos fungos e larada seca, com um cagalhão ensanguentado a sair. É isso?

VD disse...

O que chama mais a atenção é o poste de alta tensão, lá atrás.

Assento da Sanita disse...

FB

Anónimo disse...

Ya... paneleirices, sim.

g2

fininhO disse...

"Norte-americano esconde 30 objectos no ânus...

Lansing, que foi sujeito a uma revista de rotina na Florida, surpreendeu as autoridades quando revelou um preservativo saliente no traseiro. No entanto, no seu interior estavam, entre outros, 17 comprimidos, um cigarro, uma seringa vazia e seis fósforos, revela o jornal ‘Orlando Sentinel’."

Bock disse...

é que gostava de ir aconchegado e de transportar as coisas num local afastado da luz solar.

Bock disse...

O fininh0 foi à Califórnia
Passear, ver as vistas
Apanhou uma ganda esbórnia
E uma úlcera, das tostas mistas

A úlcera era no intestino delgado
E estava lacerada
Diagnóstico reservado:
Foi de piça e munta marrada

Chegou à Las Vegas
Armado em conquistador
Levou tantas negas
Que, deprimido, foi ao Dr.

Chamava-se Isaque
E era de Sião
Receitou-lhe Prozac
E menos levar no bujão

Miguelão disse...

BLURP!!!

Bock disse...

Agachado estava o Assento da Sneita
A ser montado por um yogui setentão
Esguichou rala e translúcida meita
secou a nódoa c'uma ponta do roupão

Depois foi praticar Yôga
Com o Meistre Sharvanava
que veio de lá c'uma treta demagoga
a ver se pla mística o encavava

Mal sabia o incauto ancião
que nas artes de ser encavado
O assento a dormir sabe mais da questão
que qualquer maricas nojento acordado

Assento da Sanita disse...

Na parada gay pride, eu vi
O Bock 'cas nalgas à mostra
Enojado dali eu fugi
No rego tinha grossa crosta.

De merda e meita coalhada
Em negativo, amarelo torrado
De pêlos estava enchumbada
Tal crosta de ser enrabado.

Dançava um samba, o paneleirote
E meneava-se aos guinchinhos
No cu até metia um cachalote
Para alargar os intestininhos.

Nisto borrou-se todo
Para cima dos outros foliões
''lha da puta! Que te fodo!'
Disseram os outros cabrões.

'Mama aqui que logo vês!'
Disse o Bock apertando os tomates
E atrás dele vieram três
Mas um era tates bitates.

Era o seu namorado de infância
O Nelsonzinho das barracas
Que se riu com jactância
E abocanhou-lhe as maracas.

O Bock revirou os olhos
E fez-lhe um botão-de-rosa
Foi ali sexo aos molhos
Apanhou febre afetosa.

Bock disse...

Procuras a quantidade
E a profusão de versos
em vez da qualidade
e pensamentos perversos

tás todo queimadinho
é do chá com droga
Mandas caldos de vinho
Ficas com olhos de boga

Vais arrumar carros a fachos do PP
jantas ensopado de taínha
dizes que aquilo é de gourmet
antes das 12 já tás coa veia toda picadinha

g2 disse...

Que poetas tão originais,
Vocês me saíram, os dois.
Paneleiros até não mais,
Poetas sim, mas só depois.

Igualinhos ao vate Botto,
Nos poemas é o que ressalta!
Cada um mais que o outro, roto,
De cus abertos, à espera da malta.

Ide abanar o rabo impuro
Para as avenidas lisboetas,
E encostados a um muro,
Batei, a outros, punhetas.

Não é um blog de engate,
Dizem vocês, seus panilas.
Mas é o que aqui mais bate,
É gajos à procura de pilas.

Pois antes que vos assalte
Sobre mim dúvida asquerosa,
Sabei que eu também sou vate,
Mas não, como vós, cor-de-rosa.

De gajas boas é que eu gosto,
De boas mamas e bom pito,
Mas sobre isso, até aposto,
Vocês nada sabem! Tenho dito!