quarta-feira, 19 de novembro de 2008

AS METAMORFOSES DE ASSENTO DA SANITA- II

Pigmaleão




Venho aqui proclamar o meu desgosto pelas mulheres. Criaturas de coração volátil e infiel por natureza; os seus humores aquecem-lhes o ventre com a facilidade de um qualquer olhar viril, ou na convivência mundana, qualquer vislumbre de veneal exuberância masculina as faz ceder a lânguidos rubores, encher-se de humidades e, de fácil sorte, entregar toda a virtude. Eu, Pigmaleão, escultor de profissão, muitas vejo por estes dias, por frondosos bosques, vendendo a troco de quaisquer surradas quartas de cavalo, seus dotes, em blusas de cetim-leopardo e sorvendo galões de geriátrico sémen pelos dentes podres. Sinto repulsa por essas propoétides, pois procuro a beleza perfeita e o amor fiel, que se já não encontra senão nos romances e na contemplação da beleza da figura feminina pintada ou esculpida. Fiel como Galatéia, doce companheira, a minha boneca de borracha, que fiz amorosamente de velhas câmaras-de-ar de rodas de tractor. Com seus olhinhos meigos, pestanudos e com lânguido olhar, entreabre a sua boquinha cândida fazendo sempre aquele inocente ‘O’ de espanto e por me ver embevecido de amor. Claro que a tenho de ir despejar, pois vai-se enchendo de esperma até esguichar pelos mal colados remendos de bicicleta que lhe vou pondo. Abro o pipo em recôndito lugar na mata e despejo os fermentícios líquidos no meio dos cartões, da poias e dos amontoados de ‘kits’. E volto para casa para me unir ao seu quente amplexo depois de lhe despejar uma cafeteira de água a ferver no pipo da cabeça. Ah, Galatéia, foras tu de carne e osso, saberias o quanto te amo. Pudesse Vénus saber ao menos, o quanto meu coração se aperta por esta doce e já surrada boneca que guardo bem dobradinha num caixote de Super-Pop Limão na parte de trás da barraca… É com amor que a encho todas as noites afincadamente com a bomba da bicicleta. Fica rijinha e submissa ás minhas libidinosas investidas e apenas me desgosta uma rebarba do molde no buraquinho rectal que me arranha o marsapo e também os fungos e o nauseabundo cheiro que deita, apesar de escrupulosas lavagens mensais com creolina.

Hoje acordei a seu lado e não queria acreditar no que viam meus olhos, tal a comoção. Vénus, misericordiosa ouviu as minhas preces. Vivia, de carne e osso, Galatéia, em meu leito, ao meu lado. Espreguiçava-se e olhava-me sorrindo. ´ Fazes-me o pequeno-almoço, Piguizinho querido? E já agora mete a roupa na máquina e passa a loiça por água’. ‘ Sim, meu amor’ – digo-lhe ainda incrédulo. ‘ E tenho de te dizer que a partir de hoje, por trás, já não pode ser’. ‘ Está bem, anuí’. ‘E arranja a barraca, se fazes favor, que vi uma ratazana entrar por um buraco mesmo agora’. Estendi a mão para seu seio e tentei acariciá-la, mas repeliu-me. ‘ Não me apetece. Estou cansada. Vai antes ás putas e de caminho traz-me um panfleto de coca que estou a ressacar. E compra vinho’.

Em grandes trabalhos e sofrendo sempre de frustrados intentos carnais, me vejo agora com Galatéia, que passa os dias na minha barraca com os amigos enquanto eu limpo fossas sépticas em part-time, para lhe comprar droga, preservativos e lubrificantes anais mentolados, dos quais não usufruo nunca. São os meus únicos prazeres os momentos que passo atrás das árvores, dedicando-me a um malsão onanismo retrógrado, pensando na minha felicidade passada com a Galtéia de borracha.

39 comentários:

fininho disse...

Pop-Caralhudo

dum dum disse...

A MANECAS CURTE COITUS INTERRUPTUS!
Escreveram-me esta merda na poeira acumulada do vidro traseiro do meu carro.
Suponho que seja uma forma subtil e pretensiosa de dizer 'lava-me, porco!'

booberella disse...

Epá, AdaS, tu és um dos gajos d'O Meu Pipi, só pode. :D


Off topic:

chOURAS,

Sobre o que disseste na outra caixa de comentos: tu pensas mesmo isso que escreveste sobre a MFL? E sobre o facto de ela achar que a comunicação social não deveria seleccionar as notícias que divulga, o que achas?

g2,

Eu adoro este país mas hás-de reconhecer que isto pouco mudou desde o Conde de Abranhos...

PS - Olá, dum dum ;)

Assento da Sanita disse...

Eu prefiro o coito auricular.

fin9inho disse...

Eu cá gosto de cu...

Assento da Sanita disse...

Eu também gosto do meu.

fin9nho disse...

olha que giro, ali o 9 fin9nho...

fin7nho disse...

do teu não gosto... gosto daqueles com grandes lábios ao lado.

Assento da Sanita disse...

Sim, um gajo depois tem de se limpar nalgum sítio.

fpm disse...

Excelente texto, Adas.

Assento da Sanita disse...

a tersus vagina est alius patella

fpm disse...

podes crer...

Assento da Sanita disse...

Ego contemno immunda vaginas

fpm disse...

errr... achas?

g2 disse...

Booberella, não reconheço nada disso que dizes.

Assento da Sanita disse...

Ainda bem que gostas , pá. Sabes se as bonecas insufláveis são muito caras?

Assento da Sanita disse...

Alguma menina se oferece para minha boneca insuflável? Enviar foto corpo inteiro. Pago a 90 dias. Mas pago.

fpm disse...

Afinal de contas não falam e quem achar que isso não é uma maravilha que atire a 1ª pedra.... Pode ser uma de haxe.

fpm disse...

Ao fininho só lhe falta o pipo... coisinha mai'linda!

fin5nho disse...

O Maravilha és tu, ó Maravilhas!

fpm disse...

Já vais no 5?????

Assento da Sanita disse...

O mundo é injusto. Porque é que eu não posso operar fonia em 20 metros sem fazer o exame de telegrafia? Hã?

Assento da Sanita disse...

Há estalines em todo o lado, porra.

fin666nho disse...

vou na broa... tou aqui tou na cona da tua prima.

fpm disse...

Estás no bom caminho.

fin77nho disse...

O Maravilhas é o meu GPS

fpm disse...

Grande
Paneleiro me
Saíste

finVRUMMMMMnho disse...

( . ) ( . )

Anónimo disse...

o famoso sindrome de gepetto

booberella disse...

g2,

Pronto. Esquece lá isso.

g2 disse...

Só agora li o teu post ADAS.

E além daquilo que tenho a dizer e que já disse, só digo mais uma coisa: quem te mandou ser guloso? Hã?

Booberella, não percebi, pronto. Esqueço o quê e, principalmente, porquê?

g2 disse...

Gudmóningue.

fin( . ) ( . )ho disse...

... ningue.

fpm disse...

Cunimóning

Anónimo disse...

Foda-se.

Bons dias.

chOURIÇO

fin( . )( . )nho disse...

Anho à Moda de Fajões


Ingredientes:
Para 6 a 8 pessoas

1 anho (borrego)
150 g de banha
3 dl de azeite
5 dl de vinho branco
2 limões
2 cebolas
1 cabeça de alhos
piripiri
colorau
sal
pimenta

Para o recheio

miúdos do anho
150 g de salpicão
200 g de presunto
100 g de azeitonas pretas
1 ovo cozido
1 cebola
1 dl de azeite
farinha de pau
salsa

Confecção:

Limpa-se e arranja-se o anho.
Escalda-se com água a ferver e passa-se por água fria.
Retiram-se a cabeça e as patas.
barra-se o anho com uma papa feita com os dentes de alho, a banha, o azeite, o piripiri, o colorau, o sal e a pimenta.
Entretanto, prepara-se o recheio.
Faz-se um refogado com a cebola picada e o azeite.
Juntam-se os miúdos do anho, o salpicão, o presunto e o ovo cozido, tudo picado em bocadinhos.
Deixa-se refogar um pouco e junta-se a salsa picada, as azeitonas descaroçadas e a farinha de pau necessária para obter um preparado espesso (consistência de recheio).
Coloca-se o anho na assadeira sobre as duas cebolas cortadas às rodelas e recheia-se a barriga com o preparado.
Leva-se a assar no forno, refrescando com vinho branco.
Acompanha-se com batatas assadas, arroz no forno e salada.
Enfeita-se com limões cortados em gomos.

g2 disse...

chOURIÇO, áuariu?

Anónimo disse...

Ó AdaS, és uma gracinha! A metamorfose sempre foi um conceito que me fascinou, e a hibernação também! Mas agora a sério“Hades” inventar é um Priapo insuflável, mas quanto ao “enchimento” eu depois dou-te umas dicas … nada com câmaras de ar, nem com remendos, não pode ser um modelo universal daqueles que dão p’a todas, um modelo com um bom potencial em metamorfoses e talvez a capacidade de hibernar …há dias em que só M’inerva.
X’ s Ana

Jorge disse...

ah ah ah Ana. combinado.