segunda-feira, 3 de novembro de 2008

pontapé nos colhões com jaculação verde... ou não, conforme a combinação dos liquidos despejados

A catarse, mediante uma série de casos que suscitam o emborcar a mixórdia que é o bagaço diluído em cerveja, ou pisamg ambom com absinto, tem por efeito, quer dizer, alivia e purifica a alma!!! Por conseguinte, O “Sai já uma rodada de pontapés na cona..." é prazer, é desafogo, é alivio, é libertação daquela compaixão que, retida antes e como congelada entre as sombras de um par de tomates tomados pelo destino, irrompe naquele momento e exulta frente ao irreparável.

Na realidade, a cultura do “pontapé na cona”, com a qual se identificam catarses poéticas e musicais de muitos lisboetas e arredores, poderá ser aqui apresentada como uma operação orgiástica, mediante a qual as porcalhonas e os porcalhões encontraram desafogo para as suas paixões (a orizicultura “doce”) e, em consequência disso, andava tudo bêbado, aliviado e alegre. trá, lá, lá, uma cona, tri, la, duas conas...

Frágil, mesmo ali em frente, sitio onde a concentração da atenção na palavra “supositório”, levou a que muito boa gente hoje em dia se exprima paradoxalmente em relação ao conceito de prazer próprio. Daí a saudável debandada dos “gajos que são sempre a mesma merda” para o campo. Trá, lá, lá, ri, la, três conas...

20 comentários:

Anónimo disse...

Estás cada vez mais misterioso!

E sensível!

Estarás a virar?

Foda-se...

chOURIÇO

Bock disse...

Foda-se, fin0, isto é muito à frente, caralho.

Mas, quando falas em debanda (debandada, aliás, corrige lá isso) para o campo, queres-te referir exactamente a quê? Missas negras na Serra de Sintra? Retiros budistas ou simplesmente New Age no Caldeirão, ai perdão, em Mú? T1 em Quarteira? Africkalhar num pão de forma em Odeceixe?

fininhO disse...

sensível!! sensível estás tu, com trê violoncelos no cu.

Bock disse...

Que sururu...

chOURAS, sai daí, quiço faz mal à pele, caralho!

Anónimo disse...

isso nao é amor,
e porcalhice

tchs..
as foder no campo? cúrdinario..

fininhO disse...

qual quê, pá... tens a mente conspurcada com missas negras e retiros budistas... e surf.
É amor, é levar as raparigas para o campo e foder numa cama de malmequeres.

Bock disse...

Iá, tou-te a ver...
Levas as moças ao engano para um sítio ermo e depois dizes-lhes: se queres sair daqui de carro, tens de fazer o amor coagido comigo.

fininhO disse...

nada disso... daqui não sai coágulos, tem dias que é verde...

fininhO disse...

nada mais descansado do que estar deitado numa cama de malmequeres de papo para o ar com a miúda a fazer-te o amor oral, e vais trincado umas ervas... as daninhas, e depois o jacto é verde.

g2 disse...

Que eu saiba, os malmequeres não devem ser usados para fins obscénicos!

Bom dia, vara.

fpm disse...

ui, ui, o campo e as meninas! as tetinhas!

elias, o agrimensor disse...

Isto já é bonito. A bebida verde, as meninas a abocanhar sobre cama verde, o gral do esguicho verde.

Verde. O amor é verde.

SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM! SPORTEM!

fpm disse...

foda-se

fpm disse...

PÕE SPORTEM NISSO, PÁ!!

fininho disse...

Robalo no Forno com Batatinhas e Chouriço


Ingredientes:

1 robalo do mar com 1,5 kg
2 cebolas
2 dentes de alho
1 kg de batatinhas para assar
1/2 chouriço de porco preto
1 folha de louro
100 g de toucinho cortado às fatias finas
1 cenoura grande
2 dl de vinho branco
1,5 dl de azeite
1 colher de café de pimentão doce
sal q.b.
pimenta preta moída na altura q.b.
3 hastes de salsa

Confecção:

Depois do peixe arranjado, corte-o em postas e tempere com um pouco de sal e pimenta.
Reserve.
Descasque as batatas.
Pique os dentes de alho e corte a cebola em meias-luas finas.
Coloque a cebola e alhos no fundo de um tabuleiro.
Junte a folha de louro, a cenoura cortada às rodelas, e coloque o peixe por cima.
Espalhe o toucinho, o chouriço cortado às rodelas.
Regue com o azeite e o vinho.
Espalhe as batatas pelo tabuleiro e polvilhe com o pimentão.
Leve ao forno, a (200ºC), cerca de 30 minutos.
Rectifique os temperos e sirva decorado com folhas de salsa.

fpm disse...

Uma, duas e três conas?...

VD disse...

"decorado com ramos de salsa"
Que parvoíce...:D

Anónimo disse...

Querias o quê? Raminhos de louro?

Ah, já sei, preferias o Tony Ramos.

chOURIÇO

Bock Assa disse...

O vosso amor é verde, caralho.


Amais o esmegma verde.

Porcalhões.

Bock disse...

Alguma coisa havereis de ter em comum, foda-se.

E logo verde...

Paneleiros e esquisitos.

Foda-se.