terça-feira, 5 de janeiro de 2010

ANAIS FILOSOFIA NATURAL ECLESIÁSTICA SETECENTISTA -I




'P. Porque nasce o homem nù, e vestidos os outros animaes?
R. Porque as nossas mãys naõ tem actividade nem humidade superabundante na matriz, para vestirem a creatura, ou de lãa, como as ovelhas, ou de cabello, como os de mais brutos.

P. Porque dizem que a mulher he monstro, naõ obstante serem algumas muito fermozas?
R. Porque nasce mulher por defeito da matéria generante; e assim nasce da imperfeiçaõ, contra a ordem da natureza que sempre inclina a criar o mais perfeito, que he o homem, pelo que se chama Homem imperfeito; e por esta e outras imperfeiçoens, Monstro.

P. Porque naõ tem barbas como os homens?
R. Porque o mesntruo rezolve o humor, de que nascem, e assim as que naõ tem, lhes cresce o buço como se vè em muitas velhas.

P. Porque lhes flui o menstruo e naõ aos homens?
R. Porque saõ de compleiçaõ mais fria; e o que havia de ser menstruo no homem, he sangue por razaõ do calor, que tem; e o que havia de ser sangue na mulher, he mesntruo, por razaõ da frialdade.

P. Porque naõ tem barbas os Capados?
R. Porque saõ muito frios por causa da muita abundancia, que tem de pituita; e com falta de calor, tem cerrados e constipados os poros.

P. Porque tem todos commummente voz de tiple?
R. Porque a cana do bofe recebe pouco ar, e como he subtil, e brando, assim sahe a voz, e porque a muita humidade, e pituita lhes embaraça as vias, e orgaons da voz (como sucede nos que estaõ acatarrados, os quaes tendo a voz grossa fallaõ em tiple)he como sae por huma cana taõ estreita, e apertada, sahe subtìl e delgada. Também isto se mostra nos Clarins, Charamelas, e Cornetas.

P. Porque naõ nascem os homens com cauda, como os animaes?
R. Porque se sentaõ, e se a tivessem, naõ se poderiaõ sentar comodamente. Affirmaõ alguns, que ha casta de Hebreos que nascem com esta desproporçaõ.

P. Porque temos duas Orelhas?
R. Porque se nos faltar hum, ouvido, tenhamos outro, pois he taõ necessário este sentido, e porque o cérebro purgue o humor melancólico.

P. Porque naõ flui às femeas dos animais e aves?
R. Porque nows animaes, e aves se converte em pello, pennas e escamas e asssim o peixe mulher, e a arraya que tem menstruo naõ as tem'.

(fonte: DE VALDECEBRO, A. F. FR. (1731) O porque de todas as couzas, ou endelechia da phylosophia natural, e moral, da esclarecida Ordem dos Pregadores, e Qualificador das Santa Inquisição de Castella, expostos na linguagem portugueza, Lisboa, 98 pp.)

108 comentários:

g2 disse...

Só tu...

fpm disse...

Só tu...

fininhO disse...

o Tanal já foi, enfarda agora nos anais do Saniteiro.

fpm disse...

O Saniteiro enfarda nos anais?

fininhO disse...

subtilmente... não é como tu assim à fartazana sem olhar a quem.

fpm disse...

Isso dizes tu
sem saber de nada
já nem tens cu
parece uma rabanada

fpm disse...

parece uma rabanada
todos te mandam pró olho
até na noite de consoada
te deram litros de molho

Assento da Sanita disse...

foda-se, que baixo nível...

Assento da Sanita disse...

Fui cagar ao cemitério
Ai solidão, solidão
Lá para as bandas ca Cruz Quebrada
Levantou-se um morto e disse
Morri engasgado com uma rabanada.

De vinho.

Assento da Sanita disse...

Fui cagar ao cemitério, ai solidão solidão
Nas campas arrastei os colhões
Levantou-se um morto e disse
Tira daqui esses coscorões


Que cheiram a cação, pá.

Assento da Sanita disse...

Fu cagar ao cemitério, ai solidão, solidão
E esporrei-me sem querer nas campas
Levantou-se um morto e disse:
Aqui tu não acampas

Porque não tens carta de campista

Assento da Sanita disse...

Fui comer ao cemitério, ai solidão, solidão
Uns pipis de morto com seis meses
Levantou-se a vossa mãe e disse:
- Não há defunto que não enteses


O osso da picha, claro

Assento da Sanita disse...

Fui cagar ao cemitério, ai solidão, solidão
Mas borrei-me todo de fezes
Levantou-se um morto e disse:
´Ó palhaço, não me desprezes!'

Assento da Sanita disse...

Fui cagar ao cemitério
E esborratei as campas todas
Levantou-se um morto e disse:
'pode ser que jesus cristo te castigue, ò tinhoso!'

'E te fodas'.

Assento da Sanita disse...

Fui cagar ao cemitério, ai solidão, solidão
E enchi as jarras de trampa
Levantou-se um morto e disse:
'Eu sou o Lobsang Rampa e como tsampa'

Ao desejum, normalmente.

Assento da Sanita disse...

Fui cagar ao cemitério, dão badalão, badalão
Fiquei com a tripa vazia
Levantou-se um morto e disse:
'A tua picha parece uma azevia'

De grão.

fininhO disse...

fui cagar ao cemitério, ai podridão, podridão...
borrei-me tipo arcabuzeiro, ai que escuridão, escuridão...
levantou-se a estrebuchar com gradidão um gaijo!

Era o Saniteiro.

fininhO disse...

Estava eu cagando devagarinho no cemitério com escuridão...
quando avisto uma silhueta com uma vela o cu e outra na mão... e digo para mim:
Lá vem o rabeta do coveiro!

Não, era o Saniteiro!

fininhO disse...

TLIM, TLIM, TLIM... lá vem o sineiro com um sininho no cu e um sinão em cada mão!

Não, é o Saniteiro com um torneira de água quente no cu e duas de água fria nas mãos.

fininhO disse...

mascarado de aguadeiro....

fininhO disse...

Estava eu cagando num jazigo, ai conão, conão... que lá fora chovem canos e sanitas

fininhO disse...

sifões e bidés...

fininhO disse...

e autoclismos de porcelana

fininhO disse...

bom, agora vou finalmente imprimir os postes do Saniteiro e ala pra latrina...

fpm disse...

Ala Palatrina

Assento da Sanita disse...

Fui cagar ao cemitério, ai solidão, solidão
Em cima de um jazigozinho
Levantou-se um morto e disse:
'Tem cuidado com os tomates, senão ficas como o fininhO'

fininhO disse...

jazigozinho!! foda-se! Ca ganda paneleirada!

fpm disse...

ahahah!!

fpm disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Comentário eliminado disse...

Fui cagar ao cemitério.

fpm disse...

fui cagar à mercearia
mesmo em cima dos melões
apareceu lá a tua tia
e apalpou-me os colhões

fininhO disse...

foste à mercearia com a tua tia, apalpas-te os colhões ao merceeiroe ele cagou-te melões em cima!

fpm disse...

Terá sido isso?...

fpm disse...

(ó camurça, "apalpas-te"?)

fpm disse...

chOURAS, kss kss kss!

Anónimo disse...

Lobsang Rampa, foda-se. Já não ouvia falar dele praí desde os meus 15 anos.

Bons dias.

Fino, pá, ainda não sabes a diferença verbal de um tempo hifenizado e e de um que não o é?

Caralhostefodam, pá.

Ideabarbatarapichotatesadeumcadáver.

chOURIÇO

Anónimo disse...

Curioso, não tinha visto os comentos do FêPêMê.

Porra, Lobsang Rampa...

Agora só falta falares no «assassino da luz vermelha» para que o círculo se complete.

Isto há coisas...

chOURIÇO

Anónimo disse...

O homem do xadrês que cheirava a caril...

chOURIÇO

fpm disse...

Ya, o lama tibetano.

fpm disse...

Morreu a Lhasa, curtia a gaja.

fininhO disse...

tenho os colhões hifenizados.

fininhO disse...

e tu tens hifens no cu.

fpm disse...

E esse til no cu, não mencionas?...

fpm disse...

Ou melhor, tens as aspas do cu todas abertas...

Bock disse...

AH, AH, AH, AH!!!!!!

Esta merda de chegar aqui e ler estes comentos de enfiada é do caralho, pá! ahahahahaha


E uma bacalhauzada, é para quando, cona?

fininhO disse...

para um dia des-tes... mas primeiro tens dir cagar ao cemitério

fininhO disse...

Nova bola pode complicar livres de Ronaldo...

Bock disse...

Fui cagar ao cemitério oh-ih-oh-ai
Vi o fininho a baixar as ceroilas
e a ser aviado por um zombie thai
enquanto mascava papoilas

dormideiras.

fininhO disse...

fui cagar ao cemitério, rampam pam... caguei na testa dum morto, rampam pam...
o cabrão, acordou, levantou-se e...

não, não era o Saniteiro... era Lobsang Rampa com um olho na testa.


e cona das vossas mães VRRRUMMMM!

fininhO disse...

fui cagar ao cemitério e vi o Carlos Castanheda.

fininhO disse...

andava aos cogumelos

fininhO disse...

VRRRUMMMM!

Helena disse...

loooooooooooooooolaço

ostia disse...

feliz año !

Dum Dum disse...

"feliz año"?

Que añus se sentirão felizes cagando no cemitério?
Só se for os añus coveiros, daqueles que enterram corpos hirtos e retesados.

fpm disse...

Anho assado, mazé...

Chupem-mos?

fpm disse...

finO, queres a chucha?

fpm disse...

ESTÁ UM FRIO DO CARAAAAALHOOOOO!!

Anónimo disse...

Fa un sol de carallo.

Bons dias.

Idecolaralínguaaumaparededegeloedepoisidefazerumminete.

chOURIÇO

fpm disse...

Boa ideia.

Anónimo disse...

Já viram a Ruth Marlene e a irmã descascadas na Playboy?

Procurai até encontrardes.

Por acaso, aqui há uma década, mais coisa, menos coisa, conheci as duas. A irmã era muito mais simpática e aberta (olhem aí a piada...). Mas tavam ambas vestidas. Agora consigo vê-las sob outro prisma...

chOURIÇO

Bock disse...

Bom dia.

Fui cagar ao cemitério fum-fum-fum
Tavalá o paiOLA boiOLA
Numa barrica de sangacho d'atum
a abanar a perna e a beber cocacola



...a dar o cu aos zombies.

Anónimo disse...

Cala-te, rabeta.

chOURIÇO

Ruth Marlene disse...

quem quer ir cagar ao cemitério comigo?

Bock disse...

Fui cagar ao cemitério, ôpa-ôpa
Vi o chouras a aliciar 1 morta-viva
Arrancava-lhe a pouca roupa
e enchia-lhe a cabeça de saliva

para depois se sentar em cima dela.

Cala-te tu, porcalhão.
Coitadinha da moça. É feio zombar da zombie.

Toca antes umas zumbinhas.

fininhO disse...

Bock, vai lá pôr a Rute a cagar.

Bock disse...

Fui cagar ao cemitério, upa-upa
Vi lá a Rute Marlene mais a amiga dela
Estavam c uns zombies a comer cachupa
Ia pras por a cagar,mas preferi esguichar-lhes pra goela

fpm disse...

Bem boas, ambas as duas.

fpm disse...

Fui passear ao cemitério
vi lá a rute marlene
mandei-lhe tantas p´ro cu
caté cagou leite creme

depois apareceu o toy
caguei-lhe logo em cima
limpei o cu à playboy
e a pissa à tua prima

fininhO disse...

Vamos cantar as janeiras
Vamos cantar as janeiras
Por esses quintais adentro vamos
Às raparigas solteiras

Vamos cantar orvalhadas
Vamos cantar orvalhadas
Por esses quintais adentro vamos
Às raparigas casadas

Vira o vento e muda a sorte
Vira o vento e muda a sorte
Por aqueles olivais perdidos
Foi-se embora o vento norte

Muita neve cai na serra
Muita neve cai na serra
Só se lembra dos caminhos velhos
Quem tem saudades da terra

Quem tem a candeia acesa
Quem tem a candeia acesa
Rabanadas pão e vinho novo
Matava a fome à pobreza

Já nos cansa esta lonjura
Já nos cansa esta lonjura
Só se lembra dos caminhos velhos
Quem anda à noite à ventura

fininhO disse...

Zeca

fininhO disse...

Afonso

fininhO disse...

Natal dos simples

fininhO disse...

dói-me a cabeça... ainda estou a meter os miolos para dentro de tanto marrar ontem contra os paralelepípedos do costume… à conta do “apalpas-te”.


puta que vos pariu--! (com dois tracinhos)

fininhO disse...

Vamos cagar em Janeiro
Vamos cagar em Janeiro
Por esses cemitérios adentro vamos
Às zombies solteiras

fininhO disse...

Vamos cagar em Janeiro
Vamos cagar em Janeiro
Por esses cemitérios adentro vamos
À cata dum belo cagueiro

fininhO disse...

Vamos fazer lindas cagadas
Vamos fazer lindas cagadas
Por esses cemitérios adentro vamos
Às zombies vivificadas

fininhO disse...

Vamos obrar grandes cagadas
Vamos obras grandes cagadas
Por esses cemitérios adentro vamos
Às zombies ventiladas

fininhO disse...

Por esses cemitérios adentro vamos
Às zombies vazadas

fininhO disse...

vamos
Às zombies vazadas volatilizadas

fininhO disse...

Às zombies zebradas

fininhO disse...

untadas

fininhO disse...

transmutadas

fininhO disse...

transplantadas

fininhO disse...

tosquiadas, tostadas...

fpm disse...

rabanadas

fpm disse...

Disseste tosquiadas? zc zc zc zc zc zc...

fininhO disse...

O Panão é paneleiro
O Panão é paneleiro
É enrabado em Janeiro
e durante o ano inteiro

fpm disse...

cala-te, preto do caralho.

fpm disse...

O fininho tem bom cagueiro
O fininho tem bom cagueiro
Agasalha-o em Janeiro
e durante o ano inteiro

Sandro disse...

éfe,






























































CHUPA, CABRÃO!

Sandro disse...

E CONTINUA A CHUPAR, E CHUPA E CHUPA E........... UAI! UAI,AUUUUUUUU........ engole tudo, safadão!

Bock disse...

Foda-se, pá, é muito pobre essa merda.

E triste, muito triste.

Poupem-nos a essas porcarias.

Bock disse...

Sandrinho, sóce, sabes quisto aqui a malta é toda mais ou menos mentalmente aberta e que mais ou menos se respeitam as diferenças e o caralho a sete.

E também sabes, Sandrinho, que na esmagadora maioria dos casos, a conversa de ir ao cu e chamarmos paneleirios uns aos outros é assim uma cena tipo brincadeiras de gajos, as gajas dizem "ah, essa ide ao cabeleireiro ficou-te a matar! Escadeado e liso fica muito melhor que frisado" e a malta manda-se levar no cu uns aos outros.

Mas no teu caso, e atendendo ao crescendo de devassidão e ao tipo de verve utilizada, não tenho grandes dúvidas quanto ao que segue, mas colo-o, por um simples questãop de respeito pela diferença, sob a forma interrogativa: tu gostas mesmo levar no cu, não gostas, grande cabrão?

Bock disse...

*paneleiros
**coloco-o

E mais uns. Cona.


Peidinhos de cona gramaticais.

fininhO disse...

o sandro é mais gases no cortéx... o cabrão nunca foi grande coisa, mas foda-se! Aquela cabecinha de palite feita no Pinhal da Coina, tem vinho a ter um desfalque no único neurónio que lhe resta... que o melhor para ele era mesmo atirar-se ao Sado com um peso atado aos pés. Puta que o pariu!

Bock disse...

Ah tem vinho, tem.
E do carrascão!!!

Sandrete: ao Sado, ouvistes?

Pá, é melhor não, que ainda o apanham numa rede já morto de 1 mês e confundem-no com um choco e ainda vai o cabrão dar de comer a um catrefada de gente no Leo do Choco. Belhéque.

fpm disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
bock disse...

Então, autor, arrependeste-te???

fininhO disse...

quinta cabriz...

fininhO disse...

foi cagar ao cemitério

fininhO disse...

cantar as janeiras aos mortos

fininhO disse...

Vamos cantar as janeiras
Vamos cantar as janeiras
Por esses quintais adentro vamos
Às raparigas solteiras

Vamos cantar orvalhadas
Vamos cantar orvalhadas
Por esses quintais adentro vamos
Às raparigas casadas

Vira o vento e muda a sorte
Vira o vento e muda a sorte
Por aqueles olivais perdidos
Foi-se embora o vento norte

Muita neve cai na serra
Muita neve cai na serra
Só se lembra dos caminhos velhos
Quem tem saudades da terra

Quem tem a candeia acesa
Quem tem a candeia acesa
Rabanadas pão e vinho novo
Matava a fome à pobreza

Já nos cansa esta lonjura
Já nos cansa esta lonjura
Só se lembra dos caminhos velhos
Quem anda à noite à ventura

fpm disse...

Boa janeirada.

Bock disse...

Bela paneleirada mas é.


Metam Roque, caralho.

fpm disse...

Foda-se lá, Bock, vai ser lá malcriado pró caralho, cona!

Anónimo disse...

E o gajo foi...

chOURIÇO

Vareta disse...

Assento, pá, não se podia ter começado o ano de melhor maneira. Que pérolas, pá! Que pérolas!