terça-feira, 30 de setembro de 2008

A Questão





No blogue do LGR discute-se com frequência o casamento entre pessoas do mesmo sexo e alega-se a inconstitucionalidade do artigo do Código Civil que dispõe que o casamento tem de ser entre pessoas de sexo diferente. Inconstitucionalidades à parte - que não é isso que tem agora de ser discutido - os defensores do casamento entre pessoas do mesmo sexo, entre os quais o ilustre jurista Pedro Múrias, defendem, por exemplo, que é preciso puxar pela imaginação para encontrar um efeito negativo da abertura do casamento aos homossexuais.
Contrariamente a eles - e sei que alguns de vós vão tentar crucificar-me por isto - não acho que seja assim tão ficcional e imaginativo encontrar pelo menos um efeito negativo na abertura do casamento aos homossexuais, e que se vai traduzir no receio que o Partido Os Verdes demonstrou na recente proposta de alteração legislativa que vai submeter a votação parlamentar no próximo dia 10 de Outubro: a adopção. Propõe este Partido com assento parlamentar que se permita o casamento entre homossexuais, mas que se limite a possibilidade de adopção por estes «casais».

Ora, eu penso da mesma forma em relação à adopção: a possibilidade do casamento entre homossexuais vai permitir abrir a porta à adopção de crianças por estes «casais», quer se limite agora quer se limite para o futuro esta hipótese, pois será sempre inconstitucional uma medida que limite os direitos de um casal homossexual, por discriminação em relação aos restantes casais e em contradição com o artigo 13.º da Constituição da República Portuguesa.

Reza este artigo, no seu n.º 2, que ninguém pode ser privilegiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual.

É neste acrescento da revisão constitucional de 2002 (salvo erro) que reside o busílis da questão: é em relação à orientação sexual que se revela desigual o tratamento dado aos casais homossexuais, que pretendem constituir família ou uma espécie de família. Ou seja, como dizia a canção: it's all about the money.

Há várias maneiras de tratar a questão, desde a mais simples: eles não formam casais, são pessoas individuais e, como tal, têm de ter os mesmo s direitos das outras, ou seja, podem casar, desde que seja com pessoas de sexo diferente - e aqui não há inconstitucionalidade nenhuma. Se eu gosto de branco quando todos os outros gostam de preto, não quer dizer que haja inconstitucionalidade e diferença de tratamento por eu gostar de algo diferente. O gosto é meu e só por isso não podem discriminar-me.

Outra maneira de tratar a coisa é com uma n0ta de humor: não há aqui qualquer discriminação nem violação do princípio da igualdade vertido no artigo 13.º da Constituição pois o que lá se escreve é orientação sexual e, no caso dos homossexuais, o que está em causa é - claramente - uma desorientação sexual, pelo que não podemos inseri-los no contexto constitucional.

Como sabemos, o casamento civil é um negócio e os homossexuais querem aderir a esse negócio. Pronto, digamos que não é chocante. O que é chocante é o que vem a seguir: a adopção.

Quanto à adopção - e é aqui que contradigo a tal falta de imaginação do Pedro Múrias, do LGR e de tantos outros e que provoco a vontade de alguns de vós de me atirarem para a fogueira - ainda não há estudos científicos que tenham em consideração no desenvolvimento normal de uma criança o facto de ter dois papás ou duas mamãs. Não é que ter dois papás ou duas mamãs faça mal - até porque, pelas mais variadíssimas razões, já tem acontecido uma criança crescer só com homens ou só com mulheres - o que faz mal é conviver com dois papás ou duas mamãs que durmam juntos e que tenham manifestações de carinho em privado - o que é normal - a que a criança assista. Quer dizer, não está comprovado que faça mal, mas devemos assegurar-nos de que não faz. E é nisto que peca a ciência e a vontade.

Não estranho que as lésbicas tenham vontade de ter filhos, pois têm a capacidade de serem mães. Pois sejam-no e não venham adoptá-los. Aí nada tenho a dizer nem tenho qualquer forma de obviar a isso: se é um filho biológico só ponho em causa o seu crescimento junto da mãe se for maltratado ou se for exercida violência sobre a criança ou algo assim. Não por ser filho de lésbica, claro.

E não esqueçamos que a criança vai sofrer uma poderosa pressão social, quer na escola, quer no seu círculo de amigos lá da rua. Provavelmente será apelidada de «o filho dos paneleiros» ou «a filha das fufas» ou o que for. Claro que com o passar do tempo haverá uma normalização, mas ninguém sabe se não foram produzidos danos psicológicos irreparáveis.

A segunda parte da questão é odiosa: pego no exemplo de crianças que foram abusadas por pedófilos e que quando crescem tornam-se abusadores ou homossexuais. Pego no exemplo de crianças que foram maltratadas e que quando crescem tornam-se violentos e maltratam outras crianças. Tudo fruto do comportamento que viram em miúdos e que repetem ou fruto do abuso que receberam e que imitam. Sim, porque para além de serem traumatizadas, há um comportamento de mimetização.

Eu sei que é uma interpretação perigosa, mas é-me permitido fazê-la: as crianças que sejam adoptadas por homossexuais não terão um risco acrescido de imitar esse comportamento?

Sim, eu sei que a homossexualidade não é propriamente uma doença nem nada que se pareça. Sei também que há homossexualidade genética e que essa se manifesta desde tenra idade. Mas há também homossexualidade por moda, por imitação, por necessidade de se sentir integrado numa minoria, ou por outro motivo qualquer. Se assim não fosse, como é que se explicaria o comportamento dos antigos Gregos? Teria sido uma alteração genética que os afectou a todos? Não me parece.

Finalmente - porque o texto já vai demasiado longo e agradeço a quem tenha lido até aqui - qual é a expressão social do casamento entre homossexuais? Ou seja, onde estão as hordas de homossexuais a quererem casar-se e a organizarem manifestações colectivas com placas levantadas a dizer «CASAMENTO HOMOSSEXUAL TEM DE SER UMA REALIDADE EM PORTUGAL»?

Francamente, não os vejo. Apenas vejo uns teóricos a pensar sobre uma coisa que não tem expressividade social e que não há necessidade de alargar o sentido tradicional do casamento. Parece-me que esta resolução de estipular que o casamento civil seria entre pessoas de sexo diferente vem do Código Napoleão de 1802 ou 1804. Parece que passou muito tempo? Os tempos são outros? E isso é justificativa suficiente?

118 comentários:

elias, o agrimensor disse...

Muito se fala de paneleiros e fufas neste blog, irra.

g2 disse...

Reportando-me ao meu post da tropa:

fpm, o post foi uma espécie de desbloqueador, já que o agrimensor tinha pedido para tirarem dali o cadáver (teve piada) eu pus lá isso, não é por nada em especial.

X,s Ana: tenho pena de não te ter visto, não te conheço, mas penso que, se te visse, ia saber.

Para a próxima avisa que vens cá, porque tu (ou, melhor dizendo, vocês) é que andam (se andarem) na minha peugada. E se assim for, parabéns, porque a minha peugada é uma belíssima peugada!

g2 disse...

Ora muito bem, chOURIÇO amigo, assim é que é!

Vamos lá então ler isso com calma.

g2 disse...

Um tema difícil de discutir. Só se pode argumentar de um lado e de outro, é como a religião, por exemplo: há os que aceitam e os que não aceitam e deve ser muito, mas mesmo muito raro, os que passam para o outro lado da barricada, ou seja, os que mudam de opinião.

Não sou a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo. Nada tenho contra o facto de viverem juntas, mas casarem... Acho que aqui sou conservador.

E também ponho sérias reservas a educação de crianças por um casal que não é casal coisa nenhuma.
E não penso que uma criança tenha duas mamãs e dois papás, se viver com um casal homossexual. O que a criança tem, diante de si, a quem vai "beber" comportamentos, códigos, são duas pessoas do mesmo sexo, nem mãe nem pai e que é assim mesmo que lhe irão moldar o carácter, a personalidade. (Caso diferente se uma lésbica der à luz, aí é mãe e ponto final, mas depois não deixa de ser verdade o resto quanto às consequências de viver com uma mãe e outra mulher que não é mãe e não pode ser nem é, pai).

Não sou a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo, mas se um dia for permitido por lei... Bom proveito, não deixarei de dormir por causa disso.

Anónimo disse...

Então estamos de acordo, pá.

chOURIÇO

luí disse...

bravo chOU,

es muito valiente , te van a venir las ostias en estereo .

;-)

Anónimo disse...

:)

chOURIÇO

Assento da Sanita disse...

E se o casamento for entre pessoas do mesmo sexo, mas heterossexuais? Pode?

Uma pessoa solteira pode adoptar crianças, mesmo vivendo consigo próprio e sendo do mesmo que sexo que si próprio e presumivelmente envolvendo-se em práticas sexuais consigo próprio?

Presume-se que a criança adoptada assiste aos actos sexuais dos pais? Isso é admissível (moral ou legalmente) entre heterossexuais?

Se uma criança é discriminada por ser filho de homossexuais, de que lado está o comportamento censurável? Então porque não proibir crianças pretas de frequentarem escolas maioritariamente brancas baseado no facto da sua protecção contra actos desnecessários de discriminação?

Anónimo disse...

AdaS, acho que não estás a ver bem a coisa da criança preta a frequentar uma escola de brancos...

De qualquer modo, o heterossexual que tenha sexo consigo próprio é uma coisa que nem vou comentar. Quando me referia a ctos de carinho em privado, pá, estava a falar de dois homens a beijarem-se na boca, não estava a pensar em cenas de sexo. Agora, se és adoptado e entras na cozinha de repente e dás com o bigodes a dar um chocho no barbudo, pá, há-de haver alguma coisa aí que se reflecte no teu modo de pensar, não?

De qualquer modo é um asunto aberto à discussão.

chOURIÇO

Anónimo disse...

Pelas teorias do g2 os homosexuais são assim pelo facto de serem filhos de "mães e pais anormais"?

Entao é melhor viver com pais "normais" que estão às berras todos os dias?

Meu deus!

Anónimo disse...

Ó anémona, pá, acho que não percebeste...

chOURIÇO

g2 disse...

ADAS, se um dia "casais" de homossexuais adoptarem crianças, elas não devem ser discriminadas, até porque, em princípio, nem terão culpa de serem adoptadas.

Mas que o vão ser,vão, principalmente pelos coleguinhas da escola. Os putos são terríveis, ADAS, deves saber isso.

Mas que é um tema tremendo, este, lá isso é...

fpm disse...

Muito bem, chOURAS.

Anónimo disse...

Obrigado, FêPêMê.

chOURIÇO

ostia disse...

a anemona se calhar percebe menos do que eu da lingua

g2 disse...

Anónimo: por uma vez e só uma, uma resposta a um anónimo.

Em lado nenhum eu falei em "anormais", em lado nenhum falei de razões pelas quais "os homossexuais são assim".
Não sei, não tenho capacidade técnica para saber, (duvido que alguém tenha) e não quero saber da razão porque há homossexuais. Há e ponto final, há que os respeitar na medida em que o respeito é o mínimo que qualquer pessoa merece de outra.

E contrapor à minha opinião essa de Entao é melhor viver com pais "normais" que estão às berras todos os dias?, não é nada. As coisas não têm nada a ver uma com a outra. É suposto para si, anónimo, que um casal do mesmo sexo viverá dentro da mesma casa em permanente e perfeita harmonia? Nessas casas não haverá discussões, berros, etc?

Esse Meu deus, não é uma assinatura, pois não? Onde é que eu já vi isso escrito?!

Zeca Galhão disse...

Por mim, toda a gente deve casar com quem quiser, pás.
Desde que nas bodas se possa comer e bUber à fartazana, tanto se me dá se é o João e a Maria ou a João e a Maria......

Isso dos putos é que já são outros quinhentos.....

booberella disse...

Sem tempo para responder condignamente, te digo, chOURAS: és corajoso em deixar escrito esta posta.

Off topic: g2, costumo escrever deus com letra minúscula, mas não fui eu que escrevi esse comento.

fpm disse...

Mas o problema é precisamente esse, Zeca, isso vem a seguir...

E mesmo em relação ao casório, não vão faltar falsos gays (há que contar com isso...) a aproveitarem-se das regalias fiscais que advêem do mesmo. E quem diz fiscal, diz em termos de heranças, compra de casa, etc, etc...

Anónimo disse...

Obrigado, boobies.

chOURIÇO

Anónimo disse...

Pois, FRêPêMê, o que me preocupa são os putos.

Já não dou muita relevância às regalias fiscais, acho que não será por aí que a porca torcerá o rabo...

chOURIÇO

Anónimo disse...

*tá ali um R a mais...

chOURIÇO

Zeca Galhão disse...

Agora vou ali ver as estatísticas..........

Chouras,
Se tiveres mais comentos que o Habichanado-Davidson, a ILGA crucifica-te, pá.

fpm disse...

O lobby gay só tem força que se veja em Lisboa, mas num país centralista como o nosso, penso que já é bastante, veja-se que até ao governo chegaram...

ost&a disse...

que mau F...
;-)

ost&a disse...

ese desordem de letras quem foi o que puso ahi,
ein?

Anónimo disse...

ai otra vez, ostia , ya !

Zeca Galhão disse...

maronês,
Isso do Lobo Gay só ter força em Lisboa é treta, pá......
Os gajos e as gajas fazem aqui o choradinho porque aí em cima (perto de casa), não os deixam.
Capisce?

g2 disse...

Não estava a pensar em ti, BuBu...

Penso que é uma mulher, de facto, mas isso é irrelevante.

fpm disse...

Também pode ser... Digamos que não seria muito aconselhável, sei lá...

g2 disse...

fpm... atão, quéláisso???

Bem bem...

ostia disse...

acalmate gputo que a ti não te vamos a dar en adopção a ninguem que não seja de confianza.

de momento, aqui tienes "tias e madrinhas" aos montes para tomar conta de ti.

antes te dejariamos na porta dum convento, como "Marcelino pan y vino " , ahi si estarias bem tartado, c'um bispo!

;-)

fpm disse...

Deixamos o puto à porta do Frágil?

Azeiteiro Galhofeiro disse...

Anónima, mas pou(r)co:

Às berras andarias tu, depois de te fazerem engolir um garrafão de azeite de arbequina e de t’amandarem com três quinze piços pela goela abaixo cheios de pimento na pontinha, daquele mesmo bom que só os pastores das terras perto da terra da tua mãe sabem fazer (deve viver em Shangri-la, a tua mãe, oh cacete...). Eles vêm lá das berças com os queijos escondidos nas cuecas, com curas de seis semanas de cuecame, sem apanhar ar, e depois esfregam-lhe pimento para disfarçar o sarro, a gosma, os coliformes e as manchas de nicotina. E depois lá na terra da tua mãe metem nos correios e mandam para os filhos que resolveram ir viver para a cidade. E os filhos ficam contentes. E os filhos falam disso a toda a gente. E os filhos não há quem os ature, porque os filhos são umas bestas quadradas.

E o grande monstro do esparguete disse que isso era bom, e o grande monstro do esparguete ficou contente, enquanto arrotava copiosamente daquela cerveja que o AdaS disse no outro dia que agora não me lembro, mas que podia muito bem ser super-bock, e uma beca de espuma lhe escorria pelo canto da boca. Pelo canto esquerdo, porque o gajo é tudo menos reaccionário.



AGGMDE!



E não te esqueças, anónimo, mas pou(r)co: um garrafão de arbequina no trombil e passas logo a gostar de cordovil!

pastafari disse...

não utilices o nome de nosso pai en vao

elias, o agrimensor disse...

O chOURAS tem alguma razão. Mas é melhor não lha dar, que ele fica inchado. E para cenas grotescas já chega o morto aí dois-postes-abaixo.

g2 disse...

Bem, ostia, sendo assim já estou mais descansado!

:)

elias, o agrimensor disse...

De qualquer maneira, apetece-me dizer umas coisitas:

Eu estou-me pouco lixando para o casamento entre homossexuais. Que façam o que bem entendem, mas parece-me difícil de explicar porque razão o querem. Uma lei que desse direitos iguais às uniões de facto chegava-lhes perfeitamente para todos os efeitos práticos, excepto um: o de afrontar a moral da maioria (o que alguns chamam, de forma rasteira, "fazer de conta que são homem e mulher"). É uma pena que essa vontade de afrontar não lhes chegue para se assumirem enquanto homossexuais e reclamarem os seus direitos - ou já se esqueceram de quanto tempo esteve a oferta do LGR em aberto até aparecer alguém que a aceitasse?

A questão não é de pouca importância. Não se mexe no tecido legislativo de uma nação (muito menos quando é uma serapilheira mal remendada como a nossa) a não ser por boas razões, notavelmente para a adequar à dinâmica das sociedades, em evolução permanente. Os valores de ontem e de amanhã não são os de hoje e a Lei tem de seguir, preferencialmente, a par desta evolução. O que, no caso presente, significa que a lei devia evoluir no sentido de permitir a celebração do matrimónio entre pessoas do mesmo sexo, porque essa é uma realidade nova.

Será? Não. Está muito longe de ser uma realidade. Onde estão os casais homossexuais a requerer esse direito? Onde estão os requerimentos, à semelhança do que o LGR fez?

Dir-me-ão que este é um momento feliz, uma oportunidade de ouro de adequar a legislação antes que isso se torne um problema. E eu concordo, aproveite-se o momento! Mas, e já agora, aproveite-se também a mesma presciência e previnam-se os danos que podem vir a ser causados às crianças por serem atiradas com alguma leviandade (leia-se: sem suporte científico que o desminta) para um "tubo de ensaio" sociológico. Para já, o que existe, é um indicador indirecto: as relações homossexuais duram bastante menos que as heterossexuais (e escuso-me a comentar razões, não vêm ao caso). Julgo que é pacífico considerar que, para qualquer criança, a instabilidade do meio familiar é um factor perturbador ao seu normal desenvolvimento.

Nota: é completamente absurdo pensar que um filho de pais homossexuais tenha mais probabilidade de se vir a tornar homossexual por um processo de "contágio". No limite, isso significaria que nunca existiriam homossexuais, porque nunca teria existido o primeiro para "contagiar" os seguintes. E, mesmo que fosse esse o caso, onde é que está o problema de uma pessoa ser homossexual para que isso seja um "perigo" de que devemos resguardar as crianças???

Anónimo disse...

Elias, mene, tens razão também nalgumas coisas, mas não em todas. De qualquer modo, também não te quero ver inchado, pelo que podes ignorar a parte do meu comentário em que te dou razão.

chOURIÇO

g2 disse...

Então não é que este elias até mede umas coisas?!

Esta agora...

PS: Já agora, elias, mede-me lá a minha curiosidade (que outra coisa não te deixo medir, ainda que de joelhos o peças) e diz-me lá que raios de fornicoques é que faz o Paul Newman? Serás tu, ainda que o não saibas claramente sabido, um homossexual?!

elias, o agrimensor disse...

a) é gajo;
b) está morto.

Pelo teu próprio raciocínio, devo pensar que és um necro-panasca, puto?

g2 disse...

Olha lá, ó fita métrica:

Eu não pus lá o gajo por ser gajo.
Percebeste isso, ou não?!

Ai o ca...raças!

tt disse...

"It´s all about money". Essa é que é essa, Chouricito mai lindo!

E é por isso que não posso deixar de comparar as posições dos modernos pró-divórcio na hora e sem culpa, com os defensores do casamento entre pessoas do mesmo sexo. É que, podendo parecer que não, trata-se da mesma gente!

Para o divórcio sem culpa, não pode haver ressarcimento financeiro por parte do não culpado, porque o casamento é uma coisa de amor, sentimentos e tal, e essas coisas não se contratualizam. Depois, vêm, exactamente com argumentos económicos, exigir casamento para pares de pessos do mesmo sexo. Falam de garantias sociais, pensões de sobrevivência e outras tretas, a pagar com o dinheiro de todos nós!
"Ó, desculpem lá, tenham paciência!"
Então agora já não chegam o amor e os afectos?

Apesar do esforço de alguns, li por aí que há associações de gays a não achar muita graça a estas cruzadas, porque parece que não têm vontade nenhuma de casar...

Mas em contrapartida, descobri que, afinal, nem todos os católicos são atrasados mentais que se regem por um livro escrito por um pastor de gado. Há uns mais inteligentes e sobretudo mais úteis: os homossexuais católicos!


Pronto. Beijinhos.

Bock disse...

Seja como for, e p+or muita volta que os meus amigos tentem dar à coisa há um argumento a favor que é irrefutável, e que é justamente o da dimensão económica e sobretudo patrimonial do casamento - amor, sim senhora, afecto, pois claro, até há casamentos com sexo e tudo, mas todos eles têm uma vertente patrimonial.
E esse também conta.
Aliás, conta muito mais que as outras vertentes. Diria mesmo mais: é a única que realmente conta, porque quem quer amor, carinho e sexo não se precisa de se casar para nada.
Aliás (sim, outra vez, eu gosto de me repetir), diria mesmo mais: casamentos por amor, assim de uma forma generalizada, são uma invenção recente, e limitada às sociedades ditas desenvolvidas. Ou já se esqueceram de que a história da humanidade é feita, não de arranjinhos, mas de casamentos arranjados, muitas vezes desde a nascença?
Maneiras que, cá para mim, se os gajos querem ter a possibilidade de ter uma pensão de viuvez, ficar com a colecção de CD's dos ABBA e a colecção de cremes Paco Rabanne, é deixá-los em paz, cona, caralho, foda-se.

fpm disse...

Sempre houve e haverá casamento por interesse, claro. (Como dizia o outro - "eu casei por amor, pois não tenho interesse nenhum na gaja...").
Quanto à parte patrimonial, os(as) gajos(as) podem precaver-se em vida, penso eu de que...
Quanto a adoptarem, aí sou totalmente contra! Pode até ser que um dia isso seja possível, mas na sociedade e tempo actuais, não o acho. Pode haver um caso ou outro mais equilibrado, mas isoladíssimos.
Agora muito sinceramente, eu até os deixava fazer o que quisessem, nem que fosse para não ter de ouvir falar nisso, pois os "casos" que "dão a cara", são tão esquisitos, tão nojentos e tão suspeitos quer na forma quer no conteúdo que lhes dizia "ok, pázinhos, casem-se lá, foda-se, mas vão chatear o raio que vos parta!"
Outra leitura:
É que são pessoas com uma existência (pelo menos a que nos é apresentada...) tão sofrida que é quase desumano não lhes satisfazer as pretensões...
Outra leitura:
Ai têm uma vida sofrida? Aconteceu-vos tudo e mais alguma coisa? POIS ESTOU-ME BEM A CAGAR! SABEM POR ACASO DA MINHA VIDINHA? SABEM O QUE TAMBÉM TENHO SOFRIDO? Não sabem nem querem saber, pois o gay há-de ser sempre o mais injustiçado de todos ou pelo menos é o que nos dão a entender os media.

Conseguirão eles viver em situação de igualdade?

Vão-se queixar de quê, depois?

g2 disse...

Será feriado hoje e eu sem saber?

Bom dia, vara!

fpm disse...

Hoje é dia se Sta.Cona do Assobio, g2, já fizeste o teu minete de silêncio?

g2 disse...

Olha, afinal o fpm estava a discursar... hehe, bom dia, panão mor do norte e das rotas africanas d'aquém... etc!

:)

Parece que a vara está de acordo quanto ao "querem casar-se, casem-se ou ajuntem-se e não cheteiem", mas quanto às adopções de filhos... Aí parece que a vara não está pelos ajustes (mas não percebi bem a posição do ADAS, refiro-me à posição dele sobre o tema, claro).

Bom dia, vara, uma vez mais.
Agora vou ali ver se o nevoeiro trouxe alguma coisa de novo.

g2 disse...

Não, fpm, ainda não fiz...

Mas que não seja lá por isso!

fpm disse...

Estás a apanhar nobueiro? :)

booberella disse...

Para além da posta, li aqui opiniões verdadeiramente corajosas.
Devo confessar que é muito interessante ler o que disseram sobre o assunto.

Mantenho o que tenho dito desde sempre: sou a favor do casamento entre homossexuais e da adopção por homossexuais.

Neste momento, preocupa-me muito mais a crise financeira e a (eventual) subida das taxas de juro. Eça é que é Eça.

E hop!

g2 disse...

Não, fpm, estou no nevoeiro...

Ora lê lá bem, soletra lá isso bem...

BuBu: não percebo essa das opiniões verdadeiramente corajosas. Será que temos outra vez os pidescos e eu ainda não dei por isso? Alguma das opiniões aqui expressas nos podem levar ao tarrafal? À excomunhão social?
Por eu manifestar a minha opinião, nada me vai acontecer, as pessoas ficam a saber o que eu penso sobre isso. O mesmo se passa contigo: manifestaste a tua opinião, nada te vai acontecer.
Eu não serei castigado, tu, com outra opinião, não serás medalhada! Até porque tu nem és parecida com a vanessita! ;)

Bom dia BuBu, numa coisa tens razão: neste momento deve merecer muita mais atenção a crise financeira que o casamente entre gays. Porque acho que vem aí tempestade! Mas espero enganar-me.

fpm disse...

Podes crer, g2, não estou a ver onde está a coragem... Coragem é o que falta à paneleirada para sair do armário, isso sim. Fossem mais assumidos e talvez fossem melhor compreendidos, se é que isso é possível...

elias, o agrimensor disse...

Não creio que haja qualquer necessidade de os "compreender". Aceita-se que eles são como são e pronto.

fpm disse...

Pois, tou-te a ver...

g2 disse...

fpm, o elias quer ser aceite tal como é, não precisa que o campreendamos.

Já os outros... Olha, ao menos a gente vai tentando descubri-los!

Informação de última hora: o nevoeiro já passou. Para outras informações de última hora, liguem para o número que está a passar em rodapé.

dum dum disse...

Eu tenho uma opinião sobre este assunto fracturante, mas não a dou nem mostro a ninguém. Também tenho a certeza que estais tão interessados nela como eu estou na vossa.

Apesar de sentir um calafrio e uma náusea psicossomática se fixar o pensamento na hipótese de ver...

(desculpa lá, Betty!)

o Cláudio Ramos casado com o José Castelo Branco,

(lá fiquei eu agoniado...)


subscrevo, letra a letra, virgulinha a virgulinha, o grande bock no seu comentário de 30 de Setembro de 2008 22:15, pela sua lucidez e objectividade sem qualquer pingo de demagogia.

Também a booberella,

(desculpa-me, mas meu email voará breve, brevemente!)

ao mostrar que não é nem quer ser porteira dos usos e costumes alheios, merece o meu entusiástico aplauso.
(clap, clap, clap)

Quanto às Bettys desta terra, temei:
o casamento entre pessoas de qualquer sexo, ou mesmo sem ele, vai ser mesmo possível daqui a uns anos, quer por directiva euro-comunitária ou quando o Vaticano permitir, finalmente, o casamento dos padres.

Neste último caso porque os alegres políticos maçónicos não vão querer perder a chance de ver dois padres casados um com o outro.

fpm disse...

Sim, e então?

fpm disse...

Acho piada (nenhuma) aos indefinidos, ficam na rectaguarda e tal...

Upa Upa disse...

Tema contorverso e muito interessante, belíssimamente postado pelo sr. chOURIÇO.

Pessoalmentee no que toca o casamento entre homosexuais,não me incomoda nada o mesmo. Cada um sabe de si e a sociedade deveria aceitar isso como aceita tantas outras coisas bem mais preversas e sem sentido ou responsabilidade social alguma.

No que respeita a adopção de crianças por casais homosexuais, penso que o mais importante é que haja harmonia no casal, independentemente de tudo o resto. Ou será preferivel por exemplo uma criança ser adoptada por um casal heterosexual, onde essa harmonia não existe ? Será que nao ficará bem mais marcada negativamente ?

Penso que o cerne desta questão toda nao estará a meu ver no problema do casamento e adopção,- apesar de compreender e bem todos os meandros ligados a este tema - mas sim na aceitação "real" dos homosexuais na sociedade. Porque penso sinceramente que existe uma grande hipocrisia sobre esta mesma aceitação.

Sou contra os homosexuais "activistas", aqueles que gostam de fazer manifestações a torto e a direito, pois nao penso que tenham de ter maior atenção por parte de todos, mas defendo que devem ter os mesmos direitos e nao terem de ser vistos de "soslaio" ou critica só porque o são. A partir do momento em que assumem a sua orientação sexual, sem "paneleirices", tudo bem por mim, considero-os cidadãos tão bons e interessantes quanto os outros, e que devem ter os mesmos direitos e regalias e oportunidades como os demais.

Fiquem bem
Uoopssss!

Anónimo disse...

paneleiros, estes dum-dum e upa-upa.

fpm disse...

Falas aí numa coisa importante, UpaUpa, é que há uma diferença enorme entre um homossexual e um paneleiro. Claro que na práctica são ambos do clube do "empurrócagalhão", mas a forma de estar e de actuar é completamente diferente.

upa-dum disse...

Olha a upa-upa.

Apareceste.

Upa Upa disse...

Pois há FPM, uma diferença enorme. Homosexuais aceito-os na boa, paneleiros nao os tolero. E olha que se calhar existem paneleiros que nem homosexuais são, nao são nada, grandas broncos.

Upa-dum, pois apareci.Gostei do post.

Uooppsss!!!

upa-dum disse...

Ah! Então só apareces quando gostas do post's, é isso?

Anónimo disse...

que paneleirinhos...

g2 disse...

Paneleirinho, ou paneleirinha, és tu, ó anónimo!

Vai á merda...

(Foda-se, lá estou eu a responder a um anónimo, cum camamdro...)

Anónimo disse...

ofendeste-me...

tobias, o agrião disse...

Pior que os paneleiros são os impotentes que só se excitam com a vida sexual dos outros.

comprem e tomem Viagra ou Pau de Cabinda e voltarão a dar ao apêndice que têm a sul do vosso umbigo mais atenção do que à vida sexual dos outros!

Que putas do soalheiro, fodasse!

fpm disse...

Tobias, puta de soalheiro é a grande puta que te pariu!

Upa Upa disse...

Não é bem mas é quase isso, upa-dum.

A verdade é que já não punha aqui as vistinhas há já algum tempo e hoje deparo-me com este post,cujo tema é interessante( não,nao sou fufa nem homosexual e se o fosse, pois nao tinha problema nenhum em o dizer. O problema não seria de certeza meu )

Qualquer tema que toque comportamento humano e sociedade, arrebita-me os sentidos. ( nao, nao me arrebita mais nada...)

Uuoopssss!!!

upa-dum disse...

E o que é que te arrebita?

Upa Upa disse...

Arrebita-me os sentidos, atão nao leste ? E não me arrebita mais nada. O tema, claro está.

Uuoopssss!!!

Anónimo disse...

cojinetes padrinácio:
no rascan bola !

tobias, o agrião disse...

Olha que o apêndice mirra e enfeza-se com a ira e ósdespois não há viagra que lhe valha.

tobias, o agrião disse...

Toca-se nas feridas e prontos!
LOL

dum dum disse...

No Público de hoje:

LUSOPONTE - Três ex-ministros das Obras Públicas envolvidos em renegociação com o Estado
"Ferreira do Amaral preside à Lusoponte. Agora junta-se-lhe Jorge Coelho, através da Mota-Engil, maior accionista da concessionária das pontes sobre o Tejo. Ambos vão defender os interesses da Lusoponte na renegociação do contrato que elaboraram enquanto ministros. Murteira Nabo vai estar na comissão técnica do dossier."

Isto, sim!

Isto é que são casamentos, padre Sócrates!

fpm disse...

Quais feridas, estupidola? Alguém te perguntou alguma coisa? Volta pró buraco, pá...

ostia disse...

"nabo" é uma palabrota.

elias, o agrimensor disse...

Tudo depende da forma de preparação, ostia.

Anónimo disse...

crema de nabo y coco con dulce de foie

pelar los nabos (perdon) , trocearlos y saltearlos en aceite de oliva en una sarten con cebollas dulces (chalotas)y patatas

luego hervir añadiendo al final coco (de cocotero) rallado .
Colar con un chino para que no queden hilos,
añadir nuez moscada y genjibre molido

dejar enfriar esta crema

confeccionar dos hojitas de caramelo con azucar y piñones tostados, colocar entre las hojitas una fatia de foie
y poner este barquito en medio de la crema de nabo y coco

asi esta bem a preparação?

podes acompañar com Porto combiana fantástico con la mezca de sabores

;-)

Anónimo disse...

*combina

fpm disse...

pelar o nabo?

ostia disse...

oopsss, antes de colar con el Chino se ha de triturar,

ostia , con las prisas me salto a metade de pasos.

fpm disse...

ficaste nervosa? ;)

Anónimo disse...

ya pedí perdón..
;-)

Anónimo disse...

e não brinques comigo ou mudo o Porto por Horxata..

fpm disse...

oh, sim!

booberella disse...

g2,

Não se trata de haver ou não haver lápis azul e, a haver, têm mais que fazer que ler os nossos comentários. Também não quero que sejas castigado pelo que escreveste nem muito menos quero ser medalhada pelo que defendo. Reservo-me o direito de aprender com tudo o que leio, vejo e oiço.

Acho corajoso como alguns de vós escrevem sobre este assunto com uma sobranceria moral absolutamente espantosa. Aviso já que não quero ofender ninguém com o termo «sobranceria» e nem sequer tenho tempo para vir aqui falar sobre este assunto. Ontem, se não estou em erro, disse algumas coisas no blog do abichanado-mor e remeto-vos para o que lá disse. A minha opinião sobre esta matéria é inabalável e nada do que se disser vai alterar o que penso sobre este assunto.

Causa-me algum desconforto, isso sim, ler-vos e ver que bastaria trocar as palavras dos vossos comentários de «homossexual» para «preto», «cigano», «judeu», «islâmico» e ver que o que vai nas vossas cabeças. Choca-me e muito.

Desculpem-me a seriedade do comento.

Disse o dum-dum e bem: as palavras do bock foram sábias e concordo totalmente com o que ele escreveu.

E não tenho mais tempo para vir aqui, hoje.

g2 disse...

BuBu, pessoalmente não acho bem que que decidas o que vai na minha cabeça. O que é têm preto, ciganos, etc, a ver com o assunto que se discutiu aqui?

O teu comentário não é sério: é atrofiante! E creio que não percebeste o que o chOURIÇO escreveu nem o que eu escrevi.
Mas tu escreves com sobranceria suficiente para dizeres que nada do que se disser irá alterar a tua opinião.
Não vi aqui ninguém a querer alterar a opinião de ninguém. Somente vi cada um a explanar os seus pontos de vista, sem querer ver o que vai na cabeça dos outros.

fpm disse...

Foda-se, aplaudido, caralho!

fpm disse...

A rapariga podia ter-se dado ao trabalho de, pelo menos, perceber o que o Bock disse...

E o magano disse o seguinte: os paneleiros e as paneleiras que façam o que muito bem entenderem porque o que eu quero é que não me fodam a puta da cabeça. O problema é guito? Atão foda-se, tomem lá o guito e vão pró caralho, mas quanto a adoptarem, calminha aí...

fpm disse...

Foi ou não foi, Zé Carlos?

Anónimo disse...

Pimba! Mesmo nas nalgas!

Detesto alentejanos, boobies. Isso serve? Que ganda confusão que vai para aí...

chOURIÇO

fpm disse...

...TING!

fpm disse...

E a tanga que o fcporto levou ontem? AHAHAHAHAHAHAH

E o benfica, joga com quem, para a Champions League?

Upa Upa disse...

Boa troca de ideias, opiniões e convicções.

Temos todos o direito à diferença e a obrigação de respeitar essa mesma diferença, sem fazer juizos de valor ou juízos sejam sobre que matéria seja.

É natural que os ânimos se exaltem quando somos "invadidos" pela incompreensão e inaceitação dos outros.

Porque só podemos aceitar ou não, seja o que seja na vida, depois de compreendermos.

O bom destas coisas é que com esta troca de ideias e opiniões, ficamos sempre mais ricos, porque mais sábios e quiçá com uma melhor percepção do que se passa à nossa volta. E quer queiramos ou não, aprendemos e apreendemos sempre qualquer coisa.

Falo por mim.!

Desculpem esta "nota de reportagem".

Fiquem bem e nao se zanguem. ;-)
Uoopppsss!!!

Anónimo disse...

detestar alentejanos es un acto de racismo de lo mas pior


dai-te vergüenza chOU, dai-te

Upa Upa disse...

FPM, foi a melhor noticia da noite de ontem: os 4 secos que o FCP levou. Não gosto do FCP, da arrogância do FCP.

Olha lá, mas o Benfica nao joga na Champions, joga pá UEFA, pá. Joga amanhã com o Nápoles, julgo eu.

E eu que percebo tanto disto, ahahah !

g2 disse...

upa upa, aqui ninguém se zanga.

Cada coisa tem o seu valor, só isso.

E quanto ao FCP: foderam o juízo ao Sporting porque perdeu 3-1 com o Barcelona. Jogaram mal, mas não tão mal como o Porto, que se safou de levar 7 ou 8 a zero.
O Sporting encostou o Barça às cordas durante 15 ou 20 mn da 2.ª parte, até o treinador fazer merda. E só sofremos o terceiro golo já nos descontos.

cHÔ-cHÔ, a anónima aí de cima tem razão, não sejas racista! Faço ideia o que vai nessa cabeça se em vez de alentejano puser pretos, etc, ver comentário mais acima!

E foda-se...

elias, o agrimensor disse...

Notas soltas:

- Essa de só podermos aceitar depois de compreender tem muito que se lhe diga. Olha se dá a alguém para dizer "eu não compreendo como é que os homossexuais não são doentes" ou "eu não compreendo como é que os pretos / ciganos / brasileiros / chineses / uoreva podem ser iguais aos brancos", está dispensado dos mínimos de civilidade e urbanidade?

- Alguém que se diz inabalável na sua opinião chamar "sobranceiros" aos outros... hummmm... acho que há aqui um problema semântico...

Upa Upa disse...

Quanto às zangas, foi uma maneira de dizer, G2.

Nao me fales do "nosso" Sporting.
Domingo se a coisa corre mal contra o FCP, fico envergonhada. Mesmo.

Nao gosto de perder, especialmente com o FCP - se bem que tenha de admitir que na última jornada o Benfas mereceu ganhar. Mas isto sou eu a dizer, que não percebo patavina desta merda.

Nem quero pensar. Até fico com fernikoques.Gaita !!!

Uuoopppsss!!!

Upa Upa disse...

Elias,diz-me lá rapaz como consegues aceitar ou nao aceitar algo sem primeiro compreenderes ? Para mim é algo de impossivel, mas serei estúpida, nao nego que possa ser.

Falas em " eu compreendo " mas nao dizes " eu aceito ". Duas coisas bem distintas.

Penso sim que muitas vezes estamos "formatados" para nao aceitar ou aceitar, seja o que seja sem sequer nos darmos ao trabalho de compreender ou entender primeiro. E acredito que quando nos damos ao trabalho de compreender algo, se já estavamos "formatados" para nao aceitar esse algo, continuamos a nao aceitar, tal a força da "formatação".

Mas, "formatações", só em computadores é que eu compreendo e aceito. Resolvem muitas maleitas informáticas.

;-)
Uuooppssss!!!

g2 disse...

Upa upa, foi estranha a segunda parte do jogo com os lampiões, que ganharam bem, não há nada a dizer.

Não marcámos na primeira parte, tivemos os gajos à mercê... mas pronto, ganhamos para a próxima, continuamos a ser os maiores.

Também não gosto de perder com os andrades e não gosto de ver "fernicoques" escrito com "K", o acordo ainda não chegou e quando chegar, mando-o às malvas.

Por falar em formatação: o meu Vista, na 6.ª feira, deu o berro, o sacaninha! O que vale é que eu tenho (quase) tudo na partição D

Só mais uma coisa, upa upa: obrigado pela promoção, mas eu prefiro ser g2 em vez de G2.
Quando chegar a altura da promoção, fazemos aqui uma festa de arromba (mas orgias, não, espero que não estejas a contar com orgias)

C'est tout!

PS: Elias, estás a medir bem, pá...

Upa Upa disse...

g2, o k deve-se à pôrra dos sms.

Quanto ao acordo,também não lhe ligo.É uma autêntica "dôr no cú".

Quanto a orgias, não, não penso em orgias.

C'est tout aussi !

elias, o agrimensor disse...

Eu aceito que um homem se sinta sexualmente atraído por outro homem, mas não o compreendo. É uma coisa que não joga cá dentro, e não faço depender a minha aceitação disso de uma compreensão que não vou, provavevlmente, ter nunca. Simples. Eu não preciso de compreender a homossexualidade para compreender que é uma coisa natural e não-discriminável. Diz-me, upa: foste tirar um curso de engenharia aeronáutica antes de andar pela primeira vez de avião, ou limitaste-te a aceitar que aquilo voa e os senhores sabem o que fazem? ;)

Upa Upa disse...

Olha Elias, deixa-me pensar...

Hmmmmm,terás a tua razão, mas que tem de haver uma razão plausível para um gajo se sentir atraído por outro, disso não tenhas dúvidas. Podes nao te dar ao trabalho de compreender ou sequer tentar, mas que existe uma razão, se calhar para além de qualquer compreensão, ai isso existe.

Quanto aos aviões, tens razão novamente, só que pelo meu lado gosto de perceber porque é que aquilo voa e compreendo e aceito até que se possa estatelar no chão - portanto deixar de voar - apesar dos senhores saberem o que estão a fazer. ;)

Uuooppssss!!!

g2 disse...

Upa Upa, se não pensas em orgias, fazes mal. Devias pensar!

E lá por causa dos sms ninguém tem que usar os "k" nem o circunflexo na palavra "porra".

Agora, vou pôr o meu cachecol do Sporting, refastelar-me no sofá e... dormitar!

Já agora, up upa, diz lá aí como é que os aviões voam!

Elias, tens razão, pá, agora vai lá buscar umas bejecas e umas batatas fritas e anda daí ver a bola. E cala-te, caralho! (desculpa lá, upa upa)

Upa Upa disse...

g2, és mandão és, ou tens a mania que és mandão. Com quem te vieste meter, rapaz. É que eu também sou.;)

Gosto de usar o k e pronto, quero lá saber se nao compreendes ou nao aceitas, ahahah, gosto de usar o circunflexo na palavra pôrra e pronto, nao penso em orgias nem faço mal em nao pensar, ohhhh.

Os aviões voam por que têm asas, pronto e porque os senhores sabem o que fazem, segundo o Elias - fora quando se espetam que nem tordos no chão ( mas os senhores sabem o que fazem...ahahah ) - pronto.

E o Elias não tem razão nenhuma, ohhhh. Tudo tem uma explicação na vida, pá !

Vá senta-te então, dormita com o cachecol do Sporting e esperemos que ganhe ao Basileia.

E pronto.

p.s.:por mim podes dizer asneiras à vontade, por quem sois ( pelo Sporting , pelos vistos ).

Uuoopssss!!!

g2 disse...

Então fica lá com os "k"'s, com os circunflexos,e tc...

Mas devias pensar em orgias, pelo menos isso devias...

Upa Upa disse...

Mas tu és mesmo teimoso g2. Tu pensa nas orgias que eu penso noutras coisas bem mais interessantes. Orgias, meu Deus.

Orgia: festa desregrada, em que se come e bebe em excesso e/ou onde há promiscuidade sexual; bacanal.

Ora nao como nem bebo em excesso, não costumo ser desregrada e não alinho em promiscuidades sexuais ou outras que tais.

E o Sporting foi para intervalo empatado, num joguinho de cáca.

Isto sim, é preocupante e dá que pensar. Agora orgias ?

Fica bem g2 e continua a dormitar de cachecol ao pescoço.

Uooppssss!!!

g2 disse...

Pá, upa upa, uma das primeiras coisas que eu disse, sobre orgias, é que comigo não há orgias.

Mas tu, ao invés, deves meditar nisso.

E ajoelha, já agora!

Upa Upa disse...

Oh rapaz, mas tu tás mesmo a bater mal. Será por causa do empate do Sporting ?

Ora lê-me com atenção, vá, não sejas teimoso:

Primeiro: se contigo não há orgias, para que me mandas a mim pensar nelas ? Ora qual a lógica disto ? Compreendo que contigo não hajam orgias, mas não aceito que me mandes a mim pensar nelas, pois támbém nao as frequento ou promovo ( viste Elias, compreender e não aceitar, viste ? pimba )

Segundo: ajoelhar para quê, diz-me lá ? és padre ? não és. bispo ? não me acredito.Portanto ajoelhar-me-ei sim, se tu ajoelhares também.

E já estamos a ganhar 1-0.

Uooppssss!!!

g2 disse...

Que raio de conversa, upa upa...

Já estou com uma confusão do quilé no que diz respeito às orgias.
Faz o que digo, não faças o que eu faço!

Portanto:

Ajoelha e orgia-te

Ca...raças!

Upa Upa disse...

But lá ajoelhar, os doiiis. Depois jogamos à sardinha, pelo menos aquecemos as mãos.

Vá, but lá !

Tu ganha-me juizo, rapaaaazzz !

Uuoopssss!!!

Anónimo disse...

merda de conversa

Upa Upa disse...

Ganhámos g2, toma lá um xi - ou será chi ? ou schi ? ahahah - somente porque ganhámos.Caso contrário nao levavas mazé nada, por seres teimoso e teres a mania que és mandão.

Nao te esqueças de usar o cachecol no domingo. Se calhar pode dar sorte.

Uooppssss!!!

Anónimo disse...

As hordas de homossexuais com vontade de se casarem estão escondidas por causa de pessoas como o autor do post.


sugiro:

www.ilga-portugal.com