sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

AS PEIXAS




1ª cabra – Hum…a Teresa hoje não está pelos ajustes.
2ª cabra – Pois, pudera, coitada. Acabou de parir sete cabritos á coisa de meia-hora. Ainda à bocado lhe comi a placenta.
1ª cabra – Que nojo. A ténia também não ajuda muito. Anda a largar segmentos pelo pasto.
2ª cabra – Largaria mais se o cancro não lhe fizesse de rolha.
1ª cabra – Lá isso é. Não gosto muito da picha do pastor.
2ª cabra – Eu também não. Tem muito herpes. Está sempre em ferida com aquelas bolhas cheias de águadilha a rebentar. Um nôjo.
1ª cabra – Sim, mas as feridas depois saram e as crostas a arranhar cá a gruta até sabe bem. Eu cá gosto. Não gosto muito é quando ele se peida. Largo logo umas caganitas.
2ª cabra – Arranha, não é? Parecem escamas. Brrr…até fico toda arrepiada.
1ª cabra – É verdade. Aquilo não é uma picha, é mais uma peixa.
2ª cabra – Uma…peixa? Que raio é isso?...
1ª cabra – A fêmea do peixe.
2ª cabra – Essa palavra não existe! Estás a delirar.
1ª cabra – Existe. São elas que cagam os ovos. Os peixes só se esporram em cima deles, onde quer que elas os larguem. É fertilização ex situ.
2ª cabra – Certo, eles ficam ‘ex sitados’ e largam a langonha em cima dos ovos.
1ª cabra – Mas assim as peixas não curtem nada!
2ª cabra – Curtem umas com as outras.
Pastor – Calem-se, pôrra! Estou-me a tentar concentrar.
Teresa – Pois. Deixem lá o homem fazer o servicinho, que a minha vida não é isto.
2ª cabra – Olha-me a galdéria a fazer-se esquisita.
Uma peixa – Cheira aqui a bacalhau cediço.
2ª cabra – É aquela vacarrona. Anda aí a dar a fruta a este e aquele e nem tem tempo para se lavar por baixo. Depois a mijanceira e a meita acumula-se-lhe na centaita e fede, claro.
Peixa – Eu gosto. Faz-me lembrar o meu Emídio.
1ª cabra- O teu Emídio é um bacalhau?
Peixa – Nah, é um penico de esmalte cheio de mijo já velho. É de estimação.
Teresa – Só me saem é duques e cenas tristes.
Peixa – Vai levar na cona, ó lambisgóia.
Teresa – Já estou…
Pastor – Prontos. Agora vê lá se vais largar a esporra no bebedouro como à bocado.
Teresa – Pode ser no bidé?
Pastor – Pode (disse isto arreganhando a boca com os dedos e soou a ‘fode’).

FIM

8 comentários:

fpm disse...

É desta que a malta se esgomita toda!
AHAHAHAHAH

Assento da Sanita disse...

Ah estavas aí...

sandro disse...

ahahahahahahahaha, que pariu este AdaS ahahahahahahahaha

fininho disse...

faz encenação e leva isto a cena... o Sandro é a 1ª cabra, o Bock a 2ª cabra, o Panão é o pastor, tu fazes de Teresa, a Óstia é a peixa, o Gêgê é o ponto e eu assobio e arremesso vegetais podres...

MUITA MERDA

Assento da Sanita disse...

Tu és ponto, porque ficas logo á altura certa para engolires.

fininho disse...

(agora chega o Panão e solta farta gargalhada à conta...)

fininho disse...

mas essa merda dos pontos tens tu no cu e nos cantos da boca... mas não, o ponto é o chouriço, ponto.

o gêg~e fica na plateia arremessar cartuchadas, ponto

ostia disse...

eu não quiero ser la peixa finO, sempre das-me os piores papeles, não posso ser uma arvore ?