quinta-feira, 2 de outubro de 2008

willst du sie kaufen?

"Queres tu comprá-los?
São todos pra comprar.
Mas oferece muito.
Faz tinir a bolsa cheia!
Senão fortifica-los.
Senão fortificas-lhes a virtude..."



nietzsche

59 comentários:

Anónimo disse...

que bien que voltaste finocchiO !! binvendo
;-)

fpm disse...

Foda-se, temos aqui o 1º paneleiro a consumir "Salvia", o fininhO!
Essa merda bate mesmo, hã!

elias, o agrimensor disse...

Isto ainda vai dar em casamento...

Anónimo disse...

de eses dois, F& F?
sempre será bom para fortalecer as relações N-S

fpm disse...

mau...

booberella disse...

Wer will bezahlt sein?

:)

elias, o agrimensor disse...

Tira isso da boca, boobas. Não se percebe nada do que dizes.

estounua disse...

Tenho pena de não ter estado presente aquando da discussão do post do Ouricito, que, mais tarde, deu origem ao post do LGR. Todos os que me conhecem sabem qual é a minha posição e sei que se tivesse entrado na discussão não tinha acrescentado nada aos argumentos dos LGR, mas, ainda assim, quero só acrescentar uma coisa mesmo que estemporaneamente: Quando eu andava na instrução primária, tinha UMA colega que não era baptizada e UMA colega que era filha de pais separados. Já na secundária, tinha UMA colega negra. Tenho a certeza que todas sobreviveram à discriminação da qual eram vítimas porque em minoria.
Os cidadãos homosexuais são muito mais que a sua sexualidade, assim como os heterosexuais. Pagam impostos, trabalham, compram casa, são profissionais. Têm as mesmas obrigações. Porque carga d'água não podem ter os mesmos direitos???!!!

Quanto à adopção, os actuais homosexuais são filhos de casais hetero! A sexualidade dos pais não os influênciou!

elias, o agrimensor disse...

Nuíta, esse argumento é perigosíssimo. Assegurar que os filhos de casais homossexuais não correm [automaticamente] o risco de se tornar homossexuais é reconhecer uma coisa terrível: a de que a homossexualidade é um risco de que devemos proteger as crianças. Donde, uma coisa ruim, como uma doença ou uma condição menor do género humano. Não vamos por aí...

fpm disse...

Decididamente, quem é a favor da adopção por parte de casais do mesmo sexo não tem a mínima argumentação.
E quem tem filhos ou que não tem mas gosta e percebe de crianças (que não são nenhuns robots...) não pode estar a favor duma coisa tão bizarra.

estounua disse...

O argumento não é meu, elias (não sei quem és :( ) o argumento é de quem é contra. Acho que não entendeste o meu argumento que era exactamente o contrário. Se os actuais homosexuais são filhos de heteros, a homosexualidade não tem nada a ver com a sexualidade de quem os cria e educa como querem fazer crer aqueles que são contra a adopção de crianças por parte de casais homo.

Mr. Green, bizarro é pais abusarem sexualmente dos filhos, segundo o que julgo saber, de todos os casos conhecidos de abuso sexual de crianças pelos pais, estes eram pais naturais e hetero.

fpm disse...

Sim, e que é que isso tem a ver com a questão?...

fpm disse...

Querem, então, aumentar o risco para as crianças?...
Só podem estar a brincar ou então querem protagonismo pela via duma questão "fracturante" ou "polémica"... Brincadeira do caraças...

tobias, o agrião disse...

Deixem de se preocupar com as crianças dos outros, caralho!

Metam-se na vossa vidinha!
Para quem não faz a ponta de um corno em benefício do próximo é preciso ter muito descaramento!

A hipocrisia tem limites!
Dasssse!

fpm disse...

És estupido ou comes merda?

estounua disse...

Qual é o risco que aumenta para as crianças? Queres afirmar que os homosexuais são tarados que querem adoptar crianças para abusarem delas? tens consciência da anormalidade desse argumento? Que eu saiba não há notícia de nenhum homosexual ter abusado de crianças. Provavelmente convives com vários homosexuais que nem sabes que o são. Assim como com várias pessoas com variadíssimas preferências sexuais que tu desconheces. Preconceitos, desinformação, confusão. É o que eu acho que estão na base dessas opiniões.

Upa Upa disse...

Boa tarde a todos. Sobre o assunto ainda do post do chOURIÇO, depois de ler o post do LGR e depois de ler o comentário da estou nua,gostaria de fazer uma pergunta:

Nao sei se têm filhos ou não, mas e se um dos vossos filhos fosse um homosexual assumido - sem paneleirices - apesar de viver e conviver no seio de uma familia minimamente harmoniosa e "normal", como era ?

Os argumentos , convicções e defesas, seriam os mesmos ?

Podem argumentar que,imaginar isso, seria a mesma coisa que viver no "reino do faz de conta", mas mesmo assim fica a pergunta. Um belo exercício para as cabeças pensantes aqui da vara.

É que continuo convencida de que a "questão" aqui é antes de mais a real aceitação - sem hipocrisias - dos homosexuais,como indivíduos iguais a todos os outros, com os mesmos direitos e regalias, independentemente de quais sejam esses mesmos direitos e regalias.

Fiquem bem

Uuoopssss!!!

fpm disse...

Nada disso... estás completamente enganada a meu respeito e acho até um abuso da tua parte presumires o que quer que seja relativamente a MIM.
Mais - os homossexuais, na sua maioria, são pessoas perturbadíssimas e não reunem as condições necessárias para educarem crianças.

fpm disse...

Uma andorinha nunca fez a primavera.

estounua disse...

Eu nem entendo essa pergunta. Em que é que o facto de ter um filho homosexual mudaria a minha posição em relação ao assunto? Isso é como perguntar: se um de nós tivesse uma filha se continuavamos a defender a igualdade dos sexos.

estounua disse...

Eu não presumi, fosto tu que afirmaste, e continuas a afirmar o que não sabes. Como é que chegas à conclusão sobre a percentagem de perturbados entre os homosexuais? Conheces alguma estatística que eu desconheça?

fpm disse...

Eu teria um grande desgosto, obviamente. Ninguém gosta de ter um filho doente...... Mas é óbvio que o apoiaria em tudo o que ele necessitasse. Quanto à adopção é que não, a adopção não pode ser um negócio.

fpm disse...

Posso presumir, então, que tu és fufa e o LGR é paneleiro?

fpm disse...

Por acaso vocês até parecem ser 2 pessoas +- equilibradas, mas continuava a achar que não reunem as condições necessárias à adopção. Assim como tb acho que um taradão sexual e hetero também não as tem!

estounua disse...

Podes. Tu podes presumir o que a tua inteligência permitir. Até presumiste que a homosexualidade era uma doença apesar de toda a gente saber que não é e da OMS ter retirado a homosexualidade da lista das doenças...

estounua disse...

Lamento, mas não está nos meus planos adoptar uma criança com o LGR.

fpm disse...

Claro que é uma doença. Com vários níveis.

Upa Upa disse...

estou nua, obviamente que e lendo-te, não mudaria em nada a tua posição em relação ao assunto, como não mudaria a minha.

fpm,acredito que fosse para ti um desgosto, como nao duvido que o apoiarias a 1000% em tudo o que necessitasse.

Agora imagina que o rapaz - ou rapariga - e pressupondo que seria uma pessoa sensivel, bem formada, e mais o que quisermos trazer para aqui, quisesse adoptar uma criança, tendo todas as condições quer monetárias quer emocionais para o fazer ? Serias contra ou verias isso também como um negócio? Nao teria esse suposto teu filho ou filha o mesmo direito de adoptar uma criança e essa criança até ser "n" feliz nessa situação ?

Uuooppssss!!!

fpm disse...

Eu dizia serem adoptados por um casal homossexual...

estounua disse...

Quem te avaliou para saber se tinhas capacidade/equílibrio para seres pai?

fpm disse...

Ó Upa, isso seria um caso muito raro... E legislava-se?

fpm disse...

Avaliou-me a minha mulher.

fpm disse...

Isto parte tudo da frustração dos casais homoss. não poderem ter filhos naturais. Como tal, há que deixar 2 pessoas frustradíssimas (duplamente) adoptar uma criança indefesa? Com meia-dúzia de exemplos cria-se legislação?
Que grande irresponsabilidade, dassss...

Upa Upa disse...

Era um caso muito raro? Achas mesmo ?

Eu não acho !

E obviamente que se legislava.Se se fazem leis para os ditos "normais e atinadinhos", - que apesar de serem hetero até podem ser umas completas bestas - porque nao fazer leis para todos ?

Obviamente que tudo precisa de equilibrio, mas há tantos casais hetero completamente desiquilibrados emocionalmente que nao seriam concerteza mais valia nenhuma nem estariam preparados para acolher no seu seio, fosse que criança fosse.

E não podemos à partida pressupor que um casal homosexual tenha de ser forçosamente desiquilibrado emocionalmente.

Uuooppssss!!!

estounua disse...

A legislação existe. A Constituição não permite discriminações.

Quem é que te disse que os homo não podem ter filhos naturais???? Que grande disparate!!!

Atenta na razão e fundamentação da tua opinião. Pára um tiquinho para pensar.

Anónimo disse...

Nuíta, mais uma vez, não estou a radicalizar nada, ao contrário de quem defende o casamento e a adopção entre homossexuais. Temos estado na caixa de comentos de baixo.

Respondendo à pergunta lançada, não mudaria em nada a minha posição. Até podem casar, mas adoptar é que não. Para lá de serem as pessoas mais doces e ponderadas do Mundo, não aceitaria isso. Aliás, se fossem ponderadas não pensariam sequer em adoptar uma criança. Ao contrário do que poderia parecer ser um acto de altruísmo, não passaria de um acto de egoísmo o querer, em última análise, impôr uma visão específica a uma criança. Não se esqueçam que as crianças imitam o comportamento dos adultos ou de quem quer que seja que os rodeia. Exem,plo acabado disso são os meninos-lobo, que foram criados desde bebés por lobos e sem nenhum contacto humano - vá-se lá saber porquê, uma loba/alcateia adoptou uma criança - e que andavam em quatro patas, mesmo não tendo estrutura óssea adaptada para o fazer. Acham que um dia não adoptariam as posições sexuais dos pais lobos se isso lhes fosse pemitido na alcateia? Ah, pois é...

Como disse ali na posta, há homossexuais que o são desde o momento que nascem e outros que se tornam homossexuais, por moda, por falta de dinheiro, por quererem estar integrados naquela minoria tão gira, etc. E isto não é preconceito.

Tenho amigas que são lésbicas e lá por isso não deixam de fazer parte das minhas melhores amigas e por quem tenho todo o respeito. E funcionam muito bem e gosto muito delas. No entanto, não deixo de ter as mesmas opiniões que tenho aqui e de discuti-las abertamente om elas.

Quanto à homossexualidade ser uma doença ou não, eu sei que a OMS já deixou de a classificar assim e, a meu ver, muito bem. Mas li algures algo que não abona nada em favor da OMS e da desclassificação da homossexualidade como doença: estão a chegar à conclusão de que a pedofilia também não é uma doença. Dá que pensar, não?

Pois...

chOURIÇO

Upa Upa disse...

Olha que giro. E a maior parte dos casais hetero que adoptam, adoptam porquê ? Porque lhes apetece ?

Não,porque nao podem ou nao conseguem ter filhos também.

São tão frustrados quando os homos e se calhar ainda mais. É que os homosexuais sabem que nao podem ter filhos, enquanto os hetero nessas condições " julgavam " que podiam ter filhos.

Entre uma frustração e a outra, venha o diabo e escolha.

Uuooppssss!!!

Assento da Sanita disse...

Estás a escamotear, desculpa lá. Pois quando qq. de nós opina acerca do que deveria ser a Lei, expressa - baseado nas suas convições - aquilo que deveria ser de aplicação universal. Mesmo relativamente aqueles que não concordam. O argumento do 'bem público' ou do direito de legítima defesa da sociedade contra actos colectivamente prejudiciais tem de ser baseada na premissa que existe alguém objectivamente lesado. Não é o caso, ou pelo menos não é exclusivo de casais homossexuais.
Por outro lado, extendendo o argumento por ti usado às suas consequências lógicas e por um principio de igualdade, deveriam ser verificadas as condições de sanidade psico-socio-familiar de todos os casais que pretendem ter filhos ( e não apenas adoptá-los)para defender as crianças que vão nascer, pois não existe a garantia que a criança em causa não será, por exemplo abusada, maltratada ou mal educada. Deveriam ser verificadas condições objectivas mínimas para a paternidade, não só psicológicas, mas por exemplo monetárias, de os pais garantirem uma educação suficiente. Isso não acontece, pois seria justamente considerado um abuso monstruoso.

Serei uma amélia mas continuo a não gostar de ver aqueles que prontamente se levantam para apoiar limitações aos direitos alheios, mesmo quando isso não os afecta objectivamente. Só nas suas convições. E essas são pessoais, de validade discutível (mesmo as religiosas como sabes que acho, pois são meramente ideológicas e nisto de direitos, liberdades e garantias devem ser guardadas para nós próprios, apenas. É aquela coisa de ' estou em completo desacordo consigo, mas defenderia até á morte o direito à sua opinião' que para mim vale mais que tudo. ' Tás a ver?

2 de Outubro de 2008 13:01
Eliminar

Assento da Sanita disse...

Ah, dirigia-me ao Chouras, esqueci-me de dizer.

Upa Upa disse...

Eu quando falo de homosexuais, falo dos "genuinos" e não nos que são por ser moda ou por oportunismo.

E se todos nós conhecemos uns e outros, sabemos bem ver as diferenças.

Queria esclarecer este ponto somente.

Uuooppssss!!!

Anónimo disse...

Eu acho que o fpm é uma pessoa perturbadíssima que não reúne as condições necessárias para educar crianças.
Tirem-me a custódia dos filhos, já!

Anónimo disse...

Tirem-LHE a custódia dos filhos, já!

Assento da Sanita disse...

Que pena a tua mãezinha não ter abortado...

elias, o agrimensor disse...

AdaS, apoiarias um movimento que legalizasse a bestialidade ou o casamento de pais com filhos?

Nota que - a menos que estivessemos a falar do cão que sei que não tens - não te tocava particularmente nenhuma delas. E são limitações às liberdades de algumas pessoas.

[e não, esta questão não tem nada a ver com o casamento dos homossexuais...]

dum dum disse...

Estava aqui a pensar botar opinião sobre o assunto, mas decido ir arejar a pluma e curtir o sol de LX.

Só quero deixar aqui uma advertência muito firme e ameaçadora:

Que as alminhas que geralmente se preocupam demasiado com o bem-estar alheio nem pensem em influenciar a lei, a opinião pública, a moral vigente ou o caralho, emitindo opiniões públicas sobre como devem ou não devem ser as famílias que vivem na porta do lado!
-O país está nas lonas por vossa culpa. Porque vocês não foram suficientemente eficientes a impedir que os vossos vizinhos começassem a viver acima das suas possibilidades financeiras.
-O insucesso escolar, a desmotivação e a galderice dos adolescentes da vosa vizinhança deve-se à vossa incúria a zelar pela sua formação quando eles eram crianças.
Em suma: sois uns incompetentes de merda!
Chega!
A partir de agora quem decide como a minha família deve ou não ser sou eu e mais ninguém.
Não preciso mais da vossa ajuda, seus incompetentes!


Agora vou mas é espairecer e ver turistas felizes e bêbedos com a esplendorosa luz de Lisboa, que vós sois uns chatos!

fpm disse...

anónimos há muitos, seu palerma!

g2 disse...

Para a nuíta:

tem graça como duas pessoas como nós que, (tenho quase a certeza) estão no mesmo azimute em tantas coisas, não concordamos neste assunto.

Pessoalmente, acho que cada um deve viver e casar com quem quiser, Casem-se, "ajuntem-se", desenrasquem-se...

Quanto às adopções, tenho opinião diferente. Acredito que dois homens ou duas mulheres possam ser bons educadores. (Como em tudo, haverá os bons e os maus, porque também não é um dado adquirido que um "casal" de homossexuais viva sempre em perfeita harmonia).
O que me deixa de pé atrás neste assunto, é o depois irá "cair" sobre a criança assim adoptada, quando for para escola, para o liceu, etc...

Mas enfim...

Não se esqueçam que depois de todos dizerem de sua justiça, depois de todos explanarem as suas opiniões, há que ir à cervejaria comemorar. E (já disse ali ao meu amigo ADAS) assim que chegarem à sexta cerveja, podem recomeçar a discussão.

Porque o importante é que esta discussão não impeça as cervejas...

Nuíta, agora vou até a Aveiro-sur-Mer dar uma voltinha...

:)

estounua disse...

Ó, porra! tinha escrito um comentário XXL e foi-se com os porcos! Vou tentar resumir.


Simãozito, a discriminação das crianças adptadas por homosexuais está para o nosso tempo como a discriminação dos filhos de pais separados ou crianças não baptizadas estavam no tempo em que nós éramos crianças. É tudo uma questão de tempo. Daqui a meia dúzia de anos já ninguém discute este tema e a maioria aceita tranquilamente.

fpm disse...

Comparação completamente descabida...

fpm disse...

Tem piada - acerca da cena da OMS e da pedofilia, nenhum dos defensores da adopção pela paneleirada disse nada...

booberella disse...

Estás nua,

Não tiro uma vírgula a tudo o que escreveste. Assino por baixo, de olhos fechados.

:)

fpm disse...

Felizmente que a maioria da população tem os olhos abertos...

2 Salazares, é o que era preciso!

Tobias, o agrião disse...

É aproveitar, pessoal! O fpm tem o olho aberto. Nao há como recusar tal generosidade.

Anónimo disse...

desculpa lá, ó agrião, costumas meter-te com quem não conheces?

g2 disse...

fpm, salazar, um, dois, ou três, espero que nunca mais.

Bem sei que só dizes isso da boca para fora. Porque se tivesses um só salazar que fosse, não podíamos estar aqui a falar disto. Já estávamos todos no xilindró (é assim, chOURIÇO?).

Portanto, fpm, nada de misturar coisas "imisturáveis".

Nuíta, o meu pai agarrou na minha mãe e fugiu com ela. O meu pai era pobre, a minha mãe pertencia mais aos ricos, apesar de todos eles se esfalfarem a trabalhar. Mas a verdade é que o meu pai, que era o homem mais bonito do Torrão, fugiu com a minha mãe, que era a moça mais linda lá da terra - a mesma.
A seguir nasci eu - não havia nada a fazer.
Fui baptizado quando tinha 7 anos e por causa da escola.

Bem, nuíta, desculpa lá, já não me lembro do que queria dizer, a memória dos meus pais distraiu-me...
Mas acho que era qualquer coisa como: nunca me apercebi de discriminação de crianças por causa de baptizados e pais, etc.
E tenho a sorte de ter tido por amigo, nesse tempo, o do começo da escola, um cigano que perdi de vista: o Rui Savedra, a quem, dava um abraço de bom gosto.

Portanto, não conheço essas discriminações assim.
E não me custa aceitar que talvez um dia, a haver uma multidão de crianças "filhas" de pares homossexuais, ninguém olhe para elas tendo isso em conta.
O homem é um animal de hábitos... E também é por isso que não vejo com bons olhos a adopção por parte de pares do mesmo sexo. Não pelas pessoas que formem o par, mas pelas coisas que a criança terá que enfrentar na rua, na escola, etc...

Também conheço dois ou três casos de homens que eram casados, tiveram filhos, mas depois enveredaram por outra vida. Os filhos fazem parte de tudo isso, mas não é a mesma coisa que a adopção.

Já agora: no acto formal da adopção, nos impressos a preencher, como vai ser?! E se o adoptado for um rapaz, quando for para a tropa, que papéis vai levar? Vocês sabem o que é uma caserna da tropa?

Bem...

Querida nuíta, vou afastar-me desta discussão, não sem antes e mais uma vez, vos pedir: ide buer umas bejecas...

E depois contai-me...

g2 disse...

Acho que me perdi um bocado no comento anterior, o cheiro dos malmequeres distraiu-me...

:)

luí disse...

hasta que todos não dejemos de brincar podemos llenar blogs de comentarios , salir na TV , nos jornais, defender a capa y espada la igualdad y el derecho a la orientacion sexual, armarnos en defensores de los derechos humanos
, darnos porrada y etc.
será inutil

a los niños adoptados por parejas homo , los llamaran "hijo de lo que sea" y se reiran deles na escola

a gente somos mauzinhos, nao por lo que expresamos y decimos aqui, cada uno tiene sus opiniones, por costumbre o lo que sea ; somos muy educados pero todos nos reimos cuando alguien cae de una silla..

todos para molestar a tio hacemos referencia a su virilidad..

no es asi?

mientras no veamos solo amor en una relación .

no hay solución.
poden casarlegalmente,
será muy bonito y tendrán su pensión.

pero seguro que en privado, se oirán sonrisitas e brincadeiras a proposito de quien llevara el vestido blanco y quien la corbata..

y el que este libre de culpa que atire lo que le de la gana.

deberiamos normalizarnos
;-)

fininhO disse...

O cabrão do golfista é um paneleiro do caralho, não é?

g2 disse...

Acho que não!